VISÃO SISTÊMICA
Eline Rasera
O modelo criado por Howard Gardner, psicólogo americano, defende a existência de alguns tipos de inteligências presente em cada um de nós. Foram definidos por ele, 7 tipos: linguística, lógica, motora, espacial, musical, interpessoal e intrapessoal.  Segundo o autor,   todos temos um pouco de cada uma delas, embora algumas possam prevalecer sobre as demais.
É o conjunto dessas inteligências que determinam a performance das pessoas e, principalmente, o talento dos profissionais. Pessoas com elevada Inteligência lógica, por exemplo, são as que apresentam capacidade maior para lidar com números, padrões e sistemas; a espacial revela talento com o pensamento abstrato, com a criação, artes e afins; a interpessoal, demonstra facilidades para relacionamentos, presente em oradores, políticos e líderes religiosos, e assim por diante.
Mais recentemente, a física e filósofa  Danah Zohar, propôs  o conceito da Inteligência Espiritual, definida como sendo a capacidade de pensar e executar as atividades de maneira mais abrangente, isto é, considerando sistemas, valores e o meio ambiente. Isso é ter  visão sistêmica.
Pessoas com essa visão, vislumbram um mundo mais abrangente de possibilidades do que normalmente o fazem outras pessoas; pensam de maneira mais ampla, envolvendo um mundo de conexões possíveis. Revelam pensamento mais complexo, buscando visualizar consequências a longo prazo. Consideram, para cada ação, uma rede de possíveis impactos.

É a decisão considerando o resultado econômico, pessoas, stakeholders e meio ambiente.

Numa organização, profissionais com esse perfil logo se destacam. Desde atividades de pequena, até as de maior  complexidade organizacional, são passíveis de serem tratadas com maior abrangência . Pode-se, ao executar  manutenção em uma máquina, preocupar-se com as pessoas ao redor – segurança, com o descarte de peças – meio ambiente, economia de material e tempo de serviço – lucro, numa mesma ação. Decisões de  elevado grau de impacto econômico também . Em qualquer atividade. É a visão sistêmica!
Líderes com essa característica buscam resultados, mas incluem o desenvolvimento das pessoas da equipe proporcionando mais  oportunidades, mantém os seus  valores pessoais em congruência com os da companhia, buscam atender as necessidades dos stakeholders e, principalmente apresentam consciência de sustentabilidade.
É o Ter e Ser integrados.
Pessoas com elevado grau de visão sistêmica, percebem a invisível rede de relações `a sua volta, integrando o vigor econômico com o crescimento sustentável, agem com coerência de discurso e prática.
“O líder sistêmico é um educador o tempo todo e em todos os lugares por onde transite: família, trabalho e ambiente social.” E.F
É possível desenvolver uma determinada inteligência da qual se tem baixa performance?

Estudos e pesquisas revelam que sim. Evidentemente não se espera resultados comparáveis às pessoas naturalmente de destaques, mas é possível otimizar inteligências e obter ótimos resultados.

E a Inteligência Sistêmica, ou Visão Sistêmica?
Mudar o padrão mental, ampliar a consciência com mais conexões e integrar os diversos campos do Ter e Ser, é possível desde que haja o desejo e a busca por ferramentas que apoiam e facilitam essa mudança.
“Quanto mais desenvolvemos a consciência sistêmica, mais consideramos que existir é relacionar-se e que toda relação,  na vida ou na empresa, educa ou deseduca, constrói ou desconstrói” – Stella Freitas

Eline Rasera, psicóloga, coach e professora do curso de Pós-graduação em Administração de Empresas da IBE Conveniada FGV.

Fonte: http://www.panoramadenegocios.com.br/2014/05/coluna-da-professora-e-psicologa-eline_22.html
REMOVER TODOS
COMPARE
0