Torcida no Trabalho: evite exageros

Com a Copa, muitas empresas se enfeitam de verde e amarelo e incentivam os funcionários a entrar no clima nos dias de jogos da Seleção. O momento é de euforia, mas o ambiente pede alguns cuidados apesar da descontração trazida pelos jogos.

Para quem vai poder ir trabalhar em ritmo de torcida, a consultora da Scriptus Consultoria Empresarial em Linguagema mestre em linguística, Rafaela Lôbo, dá algumas dicas para não exagerar:

Roupas: Na hora de escolher o figurino verde e amarelo, vale o mesmo bom senso necessário para a escolha das roupas do ambiente do trabalho. Para as mulheres – nada de decotes ousados, transparências ou roupas muito justas ao corpo. Para os homens – evitar camisetas, bermudas, bonés e chinelos.

Nada de buzinas: Apesar de tratar-se de um momento de descontração, não é de bom tom utilizar apitos, buzinas, vuvuzelas, matraca, entre outros, a não ser que isso tenha sido combinado com a chefia. Os funcionários devem preservar a ordem do ambiente, lembrando-se de que trabalho exige concentração e que o barulho é prejudicial nesse sentido.

Sem sujeira: Serpentina, confete e espuma também devem ser evitados pois, assim como o barulho, atrapalham a concentração dos  funcionários. Prefira acessórios divertidos que tragam as cores da bandeira brasileira mas fiquem no seu próprio corpo, e não espalhados pelo ambiente de trabalho: acessórios de cabelo, óculos falsos, colares, etc.

Cuidado com o comportamento: Se for assistir aos jogos no trabalho, cuidado durante a torcida. Nada de palavrões ou insultos e atenção ao tom de voz. Apesar de não se tratar de um momento de produção que exija concentração, o ambiente da empresarial não combina com gritaria e xingamentos.

Fonte: Torcida no trabalho: evite exageros | Portal Carreira & Sucesso

REMOVER TODOS
COMPARE
0