A sua política de trabalho remoto está colocando pressão desnecessária nos seus empregados?

A sua política de trabalho remoto está colocando pressão desnecessária nos seus empregados? – Hoje em dia, podemos trabalhar em quase qualquer lugar, graças à tecnologia moderna. Porém, será que essa liberdade parece mais um fardo para alguns?

É o que implica uma pesquisa publicada recentemente na revista científica Social Forces. As pesquisadoras, Jennifer L. Glass e Marcy C. Noonan, analisaram os efeitos do trabalho a distância na renda entre 1989 e 2008 e chegaram à seguinte conclusão:

“Ao invés de promover a flexibilidade de quando e onde os empregados trabalham, a possibilidade de trabalhar a partir da casa, na maioria dos casos, extende a duração do expediente e invade o tempo tradicionalmente dedicado à casa e à família.”

Você deve estar pensando que isso vai contra todo o propósito do trabalho remoto — e tem razão. A tecnologia deveria estar facilitando, e não dificultando, a separação da nossa vida pessoal e profissional. No entanto, parece que nem sempre é o caso.

Tendo em mente algumas ideias centrais, é possível melhorar a experiência de trabalho remoto e, ao mesmo tempo, obter benefícios para a empresa.

1. Não exija horas extra

Talvez a mensagem mais importante para comunicar aos seus empregados seja que exigir horas extra — seja no escritório ou em casa — é, muitas vezes, desnecessário e inapropriado.

Como empregado, talvez você também tenha se encontrado em uma situação em que lhe foi sugerido passar uma hora ou duas a mais no escritório cada dia, da mesma forma que os seus colegas. Eles deviam ter as suas motivações, mas não significa que trabalhar horas extra tenha que ser o “novo normal” para todo mundo.

Como resultado desse incentivo para trabalhar cada vez mais horas, empregados que trabalham remotamente podem sentir uma pressão desnecessária para “marcar presença” da mesma forma que os colegas no escritório. É provável que este fenômeno explique uma parte dos resultados do estudo de Glass e Noonan: até hoje, associa-se um estigma ao trabalho remoto, e os empregados sentem-se na obrigação de compensá-lo trabalhando mais horas.

2. Procure localizar desigualdades salariais

Outro problema frequente dos trabalhadores remotos são as desigualdades salariais. Mais especificamente, eles ganham menos do que os seus colegas no escritório pelo mesmo trabalho.

À primeira vista, esta discrepância pode parecer justa — afinal, os empregados que fazem o trajeto físico precisam acordar mais cedo e enfrentar o trânsito para chegar ao escritório. Contudo, o trabalho remoto requer outro tipo de sacrifícios e despesas, além das ferramentas e móveis necessários: um local arrumado e limpo para trabalhar, incluindo um computador, telefone, mesa e cadeira de escritório. Para estabelecer o contato com o escritório, também são necessários alguns itens adicionais, como software de VPN para ter acesso aos recursos e ferramentas de comunicação da empresa.

Por este motivo, os trabalhadores remotos e independentes podem deduzir despesas como itens para o home office e faturas como luz e água. Despesas deste tipo, geralmente, não são uma preocupação para as pessoas que trabalham no escritório, que é mobiliado e mantido pelo empregador.

Resumindo, se a opção pelo trabalho remoto não muda a quantidade ou tipo de trabalho que se espera do empregado, deve ser reconhecido como um estilo de vida um pouco diferente, com algumas semelhanças e diferenças, mas a mesma expectativa de salário.

3. Estabeleça expectativas claras para o tempo de trabalho

Os trabalhadores franceses obtiveram uma vitória surpresa no ano passado quando foi aprovada a legislação que facilita “desligar-se” do local de trabalho. Este “direito a desconectar-se” regulamenta, oficialmente, que os trabalhadores têm o direito de conferir o e-mail profissional somente dentro do horário de trabalho ou no escritório. É óbvio que eles podem ler os seus e-mails fora do horário de trabalho também. O propósito da nova legislação é que eles não são obrigados a obscurecer a linha entre a carreira e a vida pessoal com a família.

Existem várias piadas sobre a ética de trabalho dos franceses. Porém, mesmo com a sua política de férias generosa e, agora, esta nova legislação que aplia os direitos dos trabalhadores, eles encontram-se entre os mais produtivos do mundo. Afinal, parece que o seu descanso é merecido.

No entanto, o foco do presente artigo é nos trabalhadores remotos dos EUA. Portanto, considere o que pode acontecer sem esse tipo de limites saudáveis. Eles têm acesso a todos os recursos do trabalho — telefone, computador, etc. — o dia inteiro, inclusive depois de os seus colegas do escritório terem ido para casa. Independentemente de se há uma expectativa formal de estar disponível, há sempre uma expectativa inconsciente.

Como empregador, planeje o dia de trabalho dos seus empregados remotos com o mesmo cuidado que você planeja o programa dos seus empregados presenciais. O expediente de oito horas existe por um motivo — portanto, certifique-se de que os seus empregados remotos não estão sendo incentivados, implícita ou explicitamente, a exceder esse limite importante.

Lembre-se dos benefícios

Por último, leve sempre em consideração os vários benefícios do trabalho remoto, tanto para a empresa como para os empregados. Os trabalhadores remotos são mais felizes e mais produtivos, e cada trabalhador remoto contribui para reduzir os custos da empresa ao longo do ano.

Disponibilize a opção de trabalho remoto quando convém aos empregados, e esforce-se para eliminar alguns dos problemas acima mencionados. Os resultados podem ser surpreendentes e positivos.

Este artigo foi escrito por William Craig da Forbes e foi legalmente licenciado pela rede de editoras NewsCred.

Fonte: Content Loop BR

Fique por dentro

Assine nossa Newsletter e receba as novidades por email
// Acesso rápido
Get in touch

872 Arch Ave. Chaska, Palo Alto, CA 55318
[email protected]
ph: +1.123.434.965

Work inquiries

[email protected]
ph: +1.321.989.645