Salários

Saber o salário dos colegas pode mudar sua vida – Olhe para as mesas ao lado, para frente, para trás… Qual o salário dos seus colegas de trabalho? Pense nos que fazem menos, nos que fazem mais e daqueles que fazem o mesmo que você? É um detalhe importante. Existem várias formas de avaliar a performance de alguém, mas só uma é 100% objetiva: o salário. Em última análise, é só assim que as empresas dizem o quanto as pessoas realmente importam. Tapinhas nas costas, elogios, cursos, prêmios, elogios e promessas de aumentos e promoções são importantes, elevam a moral, etc., etc. Mas o salário é objetivo, sai do caixa da empresa e entra no bolso, pelo menos 13 vezes por ano, sem escalas.
Mas ninguém gosta de falar de salário. Só de pensar já vai subindo aquela sensação de desconforto. Aliás, nem as empresas gostam de mencionar valores. Só aquelas que querem se gabar e as que são obrigadas mencionam o seu faturamento. Todas as demais enrolam. Nem no serviço público, onde os vencimentos precisam ser publicados no Diário Oficial, a informação está disponível. A infinidade de benefícios, quinquênios, anuênios, verbas de viagem, benefícios retroativos e tudo mais fazem de cada holerite um documento único, cujos detalhes são conhecidos apenas pelo portador.
Mas a questão aqui são os salários. O especialista em liderança e palestrante David Burkus costuma provocar suas plateias ao dizer que todos sairiam ganhando se o valor dos salários fossem tornados públicos. Um dos argumentos é que, na verdade, manter os salários em segredo é uma excelente forma de manter a tropa em paz. É sabido que em todas as empresas do mundo há casos de gente menos qualificada ganhando mais do que colegas mais competentes e preparados. Os motivos são variadas, algumas mais justas e outras menos. Tem o fator: “o chefe foi com a cara”, tem o candidato mais encantador, o destemido, que pede aumento na lata…Não faltam razões para explicar as assimetrias, são coisas da vida. Quando ninguém tem certeza, ninguém pode ficar bravo e a vida de cada um segue no ruminar das suposições.
No fundo, no fundo, esse segredo acaba ajudando todo mundo. Você pode simplesmente relaxar e ter uma vida feliz, assumindo com base nas conversinhas ao pé do bebedouro que está no topo da folha de pagamentos. Ou, pode aproveitar a sensação de estar por baixo e deixar sua revolta crescer até ganhar coragem para pedir um salário maior.
Qualquer um pode estar certo. Ou não.

Fonte: Alexandre Secco no LinkedIn

REMOVER TODOS
COMPARE
0