Finanças

Roube essas três estratégias de velocidade para liderança e sucesso nos negócios – O administrador de uma universidade disse: “É que vocês não entendem. Nossa situação é diferente. Cada um de nós está fazendo o trabalho de duas pessoas”. Virei para o restante da plateia para a qual eu estava falando e perguntei: “Quantos de vocês estão tendo de trabalhar mais com uma equipe menor?”. Todos levantaram a mão. Estava claro que a situação dele não era única. Em todos os setores e países, os funcionários estão tendo de fazer a mesma coisa. No mundo inteiro, as pessoas estão tendo de fazer mais em menos tempo, com menos recursos.

A necessidade de velocidade

Há pouco tempo, quando estávamos analisando os dados de feedback de 360 graus de Zenger Folkman para diversos clientes, buscando pistas sobre o que diferenciava os líderes mais fortes daqueles que eram menos eficazes, observamos que um novo fator emergia de modo consistente: a velocidade. Os melhores líderes avançavam em um ritmo mais rápido. Eles viam tendências com mais rapidez. Eram ágeis na hora de identificar e resolver os problemas.

Porém, para ser mais preciso, meu colega Joe Folkman e eu descobrimos que o que tornava esses líderes tão eficazes não era o simples fato de agirem com rapidez. Era, na verdade, uma combinação de agir em ritmo rápido e ao mesmo tempo produzir trabalho de alta qualidade. Eles criavam mais valor trabalhando em um ritmo mais acelerado que não comprometia a qualidade.

 

Fiquei surpreso de ver com que frequência esse fator aparecia como uma previsão de poder, não só da eficácia do líder, mas também para o sucesso de toda a organização. Com tantos líderes sentindo a pressão de “tanta coisa para fazer, sem tempo suficiente”, será que a velocidade poderia ser uma solução? Seria possível as pessoas aumentarem a própria velocidade de forma consciente?

Estudamos 51.137 líderes em duas dimensões: a capacidade de cumprir as atividades com rapidez e a capacidade de realizá-las direito. Os líderes que conseguiam agir com rapidez (acima do percentil 75), mas não faziam as coisas muito bem (abaixo do percentil 75) tinham 2% de probabilidade de virarem líderes da empresa nos 10% de maior eficácia geral.

Por outro lado, os líderes com pontuação alta em cumprir as tarefas direito (acima do percentil 75), mas que não tinham rapidez (abaixo do percentil 75) contavam com apenas 3% de probabilidade de entrarem na categoria dos 10% de maior eficácia geral.

Mas aí veio a surpresa: os funcionários que conseguiam uma pontuação alta nos dois quesitos (quartil superior nas duas categorias) apresentavam 96% de probabilidade de serem líderes extraordinários.

A velocidade, por si só, não traz muita vantagem. O trabalho precisa estar certo. O segredo está nessa combinação de fazer as coisas com rapidez e precisão.

A diferença entre velocidade e qualidade

A velocidade e a qualidade são importantes, mas são coisas diferentes. Estamos enfatizando a importância da velocidade e falando pouco sobre qualidade. Por quê? Porque vemos a qualidade como algo tipo um botão de “liga e desliga”. Ou você tem, ou não tem. Se você tiver a qualidade necessária para atender aos requisitos e às expectativas do cliente, então fazer muito com mais frequência não vai gerar mais valor.

A velocidade, por outro lado, é um reostato. Ela pode ser levada a um nível cada vez mais alto e, contanto que não seja comprometida, ela continua produzindo cada vez mais valor para a empresa. Acreditamos que a maioria das pessoas consegue aumentar a velocidade.

Acelerando o passo

Se você quiser entender de verdade como acelerar o passo sem comprometer a qualidade, será necessário aprender com os líderes que se saíram melhor. A pesquisa do banco de dados de Zenger Folkman com mais de 75.000 líderes mostra muitas abordagens bem-sucedidas diferentes para aumentar a velocidade da liderança. Eis aqui algumas táticas que todos os líderes podem usar:

1. Acelere as interações.

A vida nas empresas envolve interações individuais com os colegas. A verdade é que muitas delas levam mais tempo que o necessário. Sem ser desagradável nem rude, você pode reduzi-las chegando a uma boa conclusão. A estimativa é de que 15% da semana de trabalho típica dos funcionários seja gasta em reuniões. Mas será que toda reunião precisa durar uma hora inteira?

2. Quando os projetos e as responsabilidades são delegados de forma adequada, é comum que todas as partes saiam ganhando.

O trabalho da pessoa designada fica mais importante. O tempo do líder é liberado para realizar tarefas mais estratégicas e inovadoras.

3. Aumente o ritmo.

As empresas têm uma cadência ou um ritmo próprio. Tem umas que parecem o musical “La-La-Land”. Já outras são caracterizadas por um tônus, uma eficiência e um foco em fazer as coisas acontecerem rápido. Dois renomados líderes de negócios fizeram observações quase idênticas. Tanto Mary Kay Ash, fundadora da Mary Kay Cosmetics, quanto Lee Iacocca, com uma célebre carreira no mundo automotivo, escreveram: “A velocidade do líder é a velocidade da equipe” (embora May Kay Ash tenha usado a palavra “galera”). É o exemplo de quem está na liderança que acelera o ritmo da empresa.

O aumento da velocidade pode ter uma grande influência sobre muitos aspectos da sua vida. Para quem está sempre se sentindo para trás, existem métodos com eficiência comprovada para conseguir alcançar quem está na frente. No entanto, quando aumentar a velocidade, nunca abra mão da qualidade. A melhora notável só acontece quando a velocidade e o trabalho de qualidade andam de mãos dadas, de maneira equilibrada e cooperativa.

Este artigo foi escrito por Jack Zenger da Forbes e licenciado oficialmente pela rede de editores NewsCred.

Fonte: Content-loop BR

Your compare list

Compare
REMOVER TODOS
COMPARE
0