Analista Rh

RH tem que ser um auditor de processos

A mudança do cenário macroeconômico fez com que os departamentos de Recursos Humanos revisassem o planejamento de 2015. A maioria dos profissionais de RH entrevistados pela Fesa relatou utilizar do planejamento estratégico da organização já divulgado de médio e longo prazo, para criar ações também de curto prazo.

 

Como ações de longo prazo, algumas empresas estão buscando também o crescimento por aquisição. Nestes processos é muito importante que também seja feita uma due intelligence em relação às pessoas que estão na estrutura adquirida. Esta é uma forma estratégica de descobrir o celeiro de talentos, as competências, habilidades e gaps que precisam ser trabalhados.

Desenvolvimento de liderança/pessoas (55%), planejamento emergencial para redução de custos (40%), treinamentos internos (on the job/menthoring) (25%), investimentos em treinamento (MBA/idiomas) (20%) e gestão de plano estratégico já divulgado (15%) foram as estratégias mais apontadas pelos entrevistados que podiam citar mais de uma opção.

No final de 2014, a Fesa conduziu uma pesquisa com os 50 principais executivos (CEOs, CFOs e diretorias de RH) de Minas Gerais, captando uma previsibilidade das principais competências e habilidades gerais que seriam requeridas para este ano. Na ocasião, as quatro principais competências elencadas foram: relacionamento interpessoal e liderança (33%), seguido por foco em resultados (24%), flexibilidade (24%) e disciplina e resiliência com 19%.

Já em 2015, em um ano com forte austeridade financeira, revisão de processos, pessoas e custos, as competências e habilidades mais requeridas têm sido: orientação para resultados (23%), resiliência e atuação sob pressão (20%), comunicação clara e transparente (17%), uso de inteligência coletiva (16%), negociação (15%) e gestão de pessoas (9%).

REMOVER TODOS
COMPARE
0