Investimento

Quais os melhores investimentos em tempo de crise? – Muitas pessoas preocupadas com o cenário econômico começam a buscar quais os melhores investimentos em tempo de crise. Afinal, essas épocas, embora possam ter riscos, quase sempre também apresentam oportunidades de ganhos. Numa crise, o investidor pode encontrar condições que não acharia em períodos de crescimento econômico.

Por isso, é importante analisar bem o mercado para escolher aplicações com boa relação de risco x retorno e que ofereçam rendimentos acima da inflação, até porque a rentabilidade da poupança está aquém do aumento geral de preços.

Conheça, a seguir, alguns investimentos em tempo de crise e aproveite as oportunidades do momento.

Títulos públicos federais

Com o rendimento da caderneta de poupança abaixo da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), muitos investidores migraram para o Tesouro Direto. Nesse tipo de aplicação, o poupador empresta dinheiro para o Estado brasileiro ou, mais especificamente, para o Tesouro Nacional. Logo, trata-se de um investimento de baixo risco.

Além disso, com os juros da economia altos, tornou-se vantagem aplicar no curto prazo no Tesouro Selic. Afinal, a taxa básica em junho de 2016 está em 14,25% ao ano. Outra opção é o Tesouro IPCA, que remunera o capital aplicado com uma taxa prefixada, chamada de prêmio, e outra pós-fixada, baseada na variação da inflação do período. Dessa forma, o investidor protege o poder de compra do dinheiro.

Imóveis

Quem vende imóveis atualmente talvez não esteja tão contente com as margens de lucro, mas quem pretende comprar esses bens pode encontrar excelentes oportunidades no mercado imobiliário, boas opções de investimentos em tempo de crise.

Com os estoques de imóveis novos em alta, as incorporadoras oferecem descontos vantajosos. Logo, quem pretende lucrar com a alta dos preços no longo prazo pode aproveitar o momento atual para adquirir imóveis baratos. Até mesmo no mercado de usados é possível encontrar algumas pechinchas que não existiriam em épocas de crescimento na economia.

Renda fixa privada

Com a necessidade de captação de dinheiro no mercado financeiro, os bancos emitem títulos privados. Por exemplo, você pode aplicar em Certificados de Depósitos Bancários (CDBs), Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs).

A vantagem dessas três aplicações é que elas possuem proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC), no limite de até R$ 250 mil por CPF, em caso de inadimplência da instituição financeira. Além disso, LCIs e LCAs possuem isenção do imposto de renda.

Por ter rendimento previsível, as aplicações de renda fixa são uma espécie de refúgio para quem busca investimentos em tempo de crise. Afinal, dessa forma, o poupador reduz os riscos de um momento econômico desfavorável.

Mercado de ações

Embora façam parte da renda variável e tenham riscos de perda do capital investido, as ações de companhias podem ser uma opção de investimentos em tempo de crise. Para tanto, é necessário que você pesquise com atenção a situação financeira das empresas onde pretende investir e faça aplicações no horizonte de longo prazo.

No cenário de crise, é possível encontrar muitas companhias endividadas da Bolsa, o que pode não ser bom negócio. Ainda assim, você também pode encontrar ações de empresas saudáveis financeiramente, que apresentam lucros frequentes, com preços abaixo das cotações de épocas de expansão na economia. Estudar os múltiplos das companhias para saber separar o joio do trigo é fundamental.

Fonte: Guia Bolso

REMOVER TODOS
COMPARE
0