Quais As Principais Tendencias De Negocios Para Os Proximos Anos.jpeg

A transformação digital e suas inovações vêm trazendo grandes impactos aos empregos e organizações. Nunca foi tão difícil se manter atualizado: tecnologias nascem e morrem todos os dias, ocasionando o aparecimento de novas tendências de negócios em um ritmo alucinante.

Com isso, o mercado de trabalho está passando por mudanças drásticas, e dentro de pouco tempo será totalmente diferente do que conhecemos hoje. Nesse cenário, é importante que os profissionais se antecipem e desde já se preparem para a nova realidade.

Para ajudar você nessa missão, preparamos este post com as 10 principais tendências de negócios para os próximos anos. Muitas delas já estão sendo colocadas em prática neste momento. Portanto, o futuro já começou! Quer saber mais? Confira a seguir.

Fim da verticalização

A gestão vertical, com a presença de muitos níveis hierárquicos na empresa, cairá em desuso. A tendência é que as relações de trabalho sejam mais horizontais, com todos os colaboradores atuando como pares, muitos profissionais multitarefas e maior intercâmbio de atividades entre os departamentos.

Nesse modelo, os funcionários têm mais autonomia para implementar projetos e praticar a autogestão das suas atividades, ganhando mais liberdade e responsabilidades. Aprovações burocráticas e lideranças distantes darão lugar a um ambiente de trabalho mais produtivo e colaborativo.

Big Data

Com o avanço da tecnologia, o volume de informações que as empresas coletam sobre seus consumidores aumentou consideravelmente. Usar redes sociais e fazer compras online são alguns exemplos de atividades corriqueiras nas quais o usuário fornece dados valiosos sobre seus hábitos e preferências para as organizações.

O trabalho de Big Data consiste em organizar essa enorme quantidade de dados de forma consciente, para que eles possam ser cruzados e analisados pelas empresas. Dessa forma, é possível obter insights preciosos, com o intuito de melhorar as estratégias de vendas e a qualidade dos produtos e serviços.

Foco na experiência do cliente

Mais do que resolver o problema do cliente, as empresas estão se preocupando em fazer isso da forma mais diferenciada possível. Por isso, cada vez mais as soluções são desenvolvidas com base nas emoções das pessoas, em um trabalho que envolve três aspectos fundamentais: sentimentos, tecnologia e negócios.

Muito dessa melhora da experiência do cliente tem a ver com design. Além de estar alinhado com os desejos e expectativas do consumidor, o produto precisa ser intuitivo, fácil de usar. Isso vale para aplicativos, embalagens, identidades visuais e qualquer tipo de serviço que a empresa deseje prestar.

Internet das Coisas

Essa tendência consiste em conectar objetos comuns da vida cotidiana à internet, para que eles funcionem de forma inteligente e sensorial. Um bom exemplo disso são os wearables, tecnologias “vestíveis” que se conectam à rede para desempenhar uma função específica, como pulseiras que medem o desempenho durante os exercícios físicos.

Em pouco tempo, até mesmo as casas das pessoas serão invadidas por esse tipo de ferramenta. Chuveiros, geladeiras, iluminação, sistemas de som, janelas etc. Tudo isso funcionará online, trazendo mais eficiência e comodidade para os usuários.

Gamificação

A gamificação consiste em utilizar mecanismos de jogos, como níveis de dificuldade e recompensas por desempenho, para tornar uma experiência mais lúdica e interessante. O recurso pode ser usado em cursos, campanhas de marketing ou qualquer outra situação que demande um alto engajamento do público-alvo.

A vantagem do método é estimular a cooperação e a competitividade por meio do storytelling e imersão no conteúdo, produzindo uma experiência divertida, desafiadora e inesquecível ao jogador.

Economia colaborativa

Ao contrário do modelo tradicional, no qual o foco é o consumo e a competitividade, na economia colaborativa as organizações compartilham seus recursos com outras empresas e profissionais. Esse é um jeito mais barato e sustentável de fazer negócios, já que os bens são limitados, mas as necessidades das pessoas são infinitas e aumentam a cada dia.

Nesse cenário, em vez de adquirir e construir, as companhias alugam, emprestam e compartilham. Bons exemplos desse tipo de negócio são a Uber, aplicativo global de mobilidade urbana, e o Airbnb, serviço no qual as pessoas podem oferecer suas próprias casas para a hospedagem de turistas.

Serviços baseados em localização geográfica

Oferecer serviços online baseados na localização geográfica do usuário já é uma estratégia amplamente utilizada, e a tendência é que a prática seja cada vez mais adotada pelas empresas.

Por meio de algoritmos que analisam os dados fornecidos pelo GPS do dispositivo móvel, é possível controlar a localização dos filhos ou animais de estimação; sugerir promoções em shoppings, lojas e cinemas; indicar a previsão do tempo e recomendar eventos próximos de onde a pessoa está; além de diversos outros tipos de serviços.

Fim do escritório

Com a possibilidade de comunicação online e armazenamento de arquivos na nuvem, os escritórios corporativos perderão espaço para outros tipos de local de trabalho.

Muitas empresas já adotaram a política de home office, liberando seus funcionários para trabalhar remotamente algumas vezes na semana ou em período integral. Além de oferecer mais conforto ao colaborador, a medida gera redução de custos com transporte e infraestrutura para as organizações.

Além disso, muitos profissionais acabam optando por deixar o mundo corporativo convencional e exercer funções autônomas, nas quais podem ou precisam trabalhar em localidades diferentes a cada dia. Outra tendência são os espaços de coworking, onde talentos de diferentes área de atuação se reúnem para implementar projetos e construir novos relacionamentos.

Novas profissões

Em poucos anos, muitas das profissões que conhecemos atualmente não existirão mais, sobretudo aquelas cuja base de atividades é composta por tarefas operacionais. Em contrapartida, novas funções surgirão. A demanda será por profissionais com foco em estratégia, solução de problemas, criatividade e senso crítico.

Nessa realidade, o grande desafio do mercado de trabalho será criar postos de trabalho com atividades que não possam ser desempenhadas por máquinas. Estas, por sua vez, ficarão encarregadas de todo tipo de trabalho mecânico.

Pagamentos digitais

Uma das maiores tendências de negócios dos próximos anos são os pagamentos digitais. O smartphone será a nova carteira: com dados de pagamento já cadastrados, bastarão poucos toques na tela para finalizar a operação. Senhas ficarão no passado, já que tudo funcionará com biometria. Sistemas com esse mecanismo já foram criados e, dentro de pouco tempo, farão parte do cotidiano da maioria das pessoas.

Outro recurso que vem chegando com força total é o Bitcoin. A moeda digital foi criada em 2009 e, aos poucos, foi ganhando espaço no mercado até se tornar uma das principais tendências financeiras do mundo. Há quem diga até que o sistema pode se tornar o meio de pagamento universal.

Essa foi a nossa lista com as principais tendências de negócios dos próximos anos. Com este conteúdo, você ganhou um conhecimento valioso para se preparar para as mudanças do mercado de trabalho. Basta usar as dicas com sabedoria e traçar um bom planejamento para fazer sua carreira prosperar.

Gostou do post? Não se esqueça de compartilhá-lo nas suas redes sociais. Quanto mais profissionais tiverem acesso a esse conhecimento, mais qualificado será nosso mercado de trabalho!

REMOVER TODOS
COMPARE
0