O sucesso inicial de novo empreendimento não quer dizer, necessariamente, que os negócios estão indo bem. É o que alerta o coordenador-adjunto do Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios (GVcenn) da  Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV), Marcelo Aidar, na revista Exame online.

A reportagem aponta os quatro equívocos mais comuns cometidos por novos empreendedores. De acordo com o professor, um dos principais é não utilizar indicadores para avaliar a sua pequena empresa ou startup.  “(ele) Precisa criar indicadores para que ele possa enxergar melhor o negócio. Quanto mais você aumenta as suas vendas, mais você vai precisar de recursos”, ensina Adair.

O segundo problema mais recorrente para a revista é o excesso de confiança, que também pode atrapalhar os negócios. “Superestimar o mercado, por exemplo. Pode ser que não tem tantas pessoas com a necessidade que ele precisava ou então achava que não tinha concorrência”, conta o professor. A publicação ressalta ainda, que grandes vendas no primeiro ano do empreendimento não significam que o negócio é um sucesso. “Ele só tem um aumento na venda porque é novidade, mas ele não consegue ter sinais de fidelização e saber o quanto o cliente está gostando ou não”, afirma Aidar.

Consequentemente, o último erro listado pela Exame é inovar apenas neste período – quando a novidade geralmente chama a atenção e se traduz em vendas. No entanto, é preciso que o empresário saiba qual é o diferencial da sua empresa dentro mercado. “É comum os empreendedores falarem ‘meu diferencial vai ser a qualidade do produto e o atendimento’”, diz Aidar. Seu conselho é que os consumidores possam reconhecer esse diferencial de forma clara.

Fonte: FGV

REMOVER TODOS
COMPARE
0