Divertido

Primeiro faça com que o trabalho seja divertido — a produtividade seguirá – É estranho como colocamos a “auto-atualização” no topo da hierarquia de necessidades de Maslow, mas quando os empregados gostariam de se auto-atualizar no trabalho, dizemos “Espera aí!”

Quase todos querem aproveitar os seus talentos. Também no trabalho, eles querem exercitar a sua criatividade — e quem pode culpá-los?

Se trabalhar fosse mais divertido, seria mais produtivo e mais lucrativo. Como alguém com mais de trinta anos de experiência em RH, acho interessante que não haja controvérsia sobre a frase “os empregados empoderados são mais produtivos”. Todos os líderes e profissionais de RH sabem que é verdade — e, mesmo assim, a maioria dos empregados não são empoderados.

A necessidade de o trabalho ser divertido não é enfatizado embora seja crítica! Quem vai ficar animado para trabalhar, se a tarefa for chata? Quem buscaria um alto desempenho no seu trabalho atendendo clientes se o único retorno pelo seu esforço for o salário?

Gerentes medrosos têm medo de permitir que os empregados tragam a sua personalidade criativa para o trabalho, e por isso eliminam qualquer indício de individualidade. Dizem aos empregados: “Você precisa fazer o procedimento exatamente da mesma forma que os outros!”

Se o trabalho dos seus empregados for tão estruturado que os procedimentos devem ser seguidos de forma idêntica em todos os casos, por que você tem seres humanos executando esse trabalho?

Gerenciar através do medo é má liderança.

Os conselhos de administração que têm responsabilidades com clientes e acionistas deveriam estar combatendo a epidemia de liderança baseada no medo que está tomando conta das empresas, mas parece que nem reparam nela.

Como não notam que os empregados estão cínicos e exaustos, sendo que todas as pesquisas apontam para esse fato?

Todas as conversas dos conselhos de administração e das equipes de gestão supervisionadas por eles deveriam tratar da cultura corporativa e confiança.

É fácil fazer com que o trabalho seja divertido. Não estou falando de “diversão falsa” planejada por profissionais de RH bem-intencionados mas desligados do mundo real, ou de sessões ridículas de desenvolvimento de equipes.

Estou falando do trabalho em si. O trabalho em si deveria ser divertido. É muito fácil fazer com que trabalhar seja mais divertido do que é agora. Isso é atingido dando ao empregado mais liberdade de fazer o seu trabalho à sua maneira.

Quando as pessoas têm liberdade para deixarem a sua marca no seu trabalho, tudo melhora.

Os processos de trabalho tornam-se mais inteligentes quando as pessoas responsáveis por executá-los estão envolvidas no seu desenvolvimento e implementação.

Os membros da equipe começam a colaborar quando há confiança em que eles farão o seu trabalho como bem entendem. Quando são tratados como criminosos ou crianças rebeldes, como poderiam colaborar ou inovar? O medo e a inovação nunca coexistem no mesmo ecossistema.

Os líderes lógicos e responsáveis garantem que todo trabalho seja o mais divertido e criativo possível. Os líderes medíocres não confiam em si mesmos o suficiente para confiar nas pessoas que trabalham para eles. Não conseguem soltar as rédeas para que os seus ótimos colegas apliquem as suas experiências de vida e instintos no seu trabalho. São líderes medrosos.

Se você trabalha para alguém que não tem coragem de permitir que você leve a sua personalidade ao trabalho, vale a pena passar mais um ano contendo o seu talento?

Se o seu trabalho não for divertido, o seu único retorno é o salário — mas você merece muito mais! Você merece sentir-se poderoso e triunfante quando voltar para casa depois do trabalho.

Você merece trabalhar com colegas inteligentes e entusiasmados que o inspiram e que você inspira. Você merece trabalhar para um líder visionário que entende que você também tem uma vida pessoal.

Você merece receber um salário justo e que o seu empregador valorize a sua vida pessoal. Se você não consegue isso no seu trabalho atual, talvez seja um bom momento para dar uma olhada em outras organizações.

Você merece divertir-se no trabalho, como qualquer outra pessoa. Se não está se divertindo agora, por que não começar a procurar um empregador que valorize os seus talentos?

Este artigo foi escrito por Liz Ryan da Forbes e foi legalmente licenciado pela rede de editoras NewsCred.

Fonte: Content Loop

REMOVER TODOS
COMPARE
0