Os prós e contras da carreira pública – Site JJ

Título: Os prós e contras da carreira pública
Veículo: Site – JJ

Em tempos de desemprego e alta competitividade no mercado de trabalho, uma palavrinha mágica denominada “estabilidade” atrai milhares de pessoas em busca de um cargo público. Mas quais são as diferenças entre a carreira pública e a privada? Para esclarecer alguns aspectos, o professor de Gestão Financeira na IBE-FGV e consultor de negócios, Alcidnei Sentalin, afirma que o principal aspecto positivo da carreira pública pode ser definida como a realização profissional, pois trata-se de uma carreira que denomina-se servidor público. “Ou seja, a satisfação por servir, mais que uma profissão, deve ser uma devoção”, diz. Sobre os prós da carreira, ele aponta ainda a estabilidade que pode ser entendida como a principal vantagem e a característica que mais atrai pessoas para o serviço público. “Enquanto um profissional de empresas privadas pode ser demitido a qualquer momento, um funcionário público efetivo (aquele que ingressou através de concurso publico e cumpriu o estágio probatório) só poderá perder o cargo se comprovadamente cometer falta grave, e mesmo assim, somente após processo administrativo onde lhe é assegurado o amplo direito a defesa e ao contraditório”, exemplifica. Outra aspecto positivo apontado por ele é que não há restrição quanto a idade, enquanto no mercado de trabalho privado os profissionais mais disputado são os jovens talentos. “No serviço público a idade não é um limitador. Para o ingresso na maioria das carreiras públicas, a idade é mínima de 18 anos e máxima 70 anos”, detalha. Direitos e deveres De acordo com o consultor, há ainda um regime jurídico próprio da carreira pública. Ele exemplifica que além da estabilidade oferece algumas prerrogativas que não são oferecidas aos profissionais da iniciativa privadas, destacando a lei federal 8.112 de 1.99º que institui os direitos e deveres dos servidores públicos federais e, em geral, é a base das demais leis estaduais e municipais. Há também o Regime Próprio de Previdência Social, (RPPS), estabelecido de acordo com a carreira e nos parâmetros das leis federal, mas diferentemente do regime geral, ou seja, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em que há a aposentadoria dos trabalhadores das empresas privadas, alguns benefícios são adicionados no RPPS dos órgãos públicos. “Um deles é o valor da aposentadoria ser calculado pela média ou ultimas contribuições, permitindo contribuição e recebimento de benefícios idêntico aos servidores ativos, o que garante uma vida mais confortável após o tempo de contribuição”, explica Sentalin ao citar que também existem benefícios tais como licenças e afastamentos, incentivos a participação em cursos, congressos, horários especiais entre outros. Contras Por outro lado, ele aponta como aspecto negativo o fato de tratar-se de uma carreira, em geral, onde não há reconhecimento do serviço bem realizado. “Ainda de uma forma genérica, a estabilidade acaba gerando o comodismo. Trata-se de uma carreira em geral com serviços rotineiro, sem demanda para o uso pleno da capacidade dos servidores tanto no que se refere a criatividade quanto a crescimento pessoal e profissional.” Ele observa que trata-se de carreira muito formalizada, onde o servidor público deve obedecer uma série de regras preestabelecidas pelas instituições. “Alguns lugares prezam maior rigor em processos e rotinas de trabalho. Por não oferecer grandes possibilidades de mudanças de atividades, pode limitar até mesmo o potencial criativo”, avalia. Outras desvantagens apontadas pelo consultor são a falta de um plano de carreira e a

‘meritocracia’ no setor público. Dados Ele cita que a taxa de desemprego geral da economia de 8,3%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) está entre os fatores que têm demonstrado o aumento do interesse pela carreira pública, assim como o os números crescentes de candidatos em concursos públicos, sendo que 16% dos inscritos têm idades entre 18 e 24 anos e boa parte com formação superior. Questionado se ele acredita ser válido para o profissional planejar uma outra carreira que exige tempo e disposição para os estudos, abdicando de momentos de lazer com a família e os amigos, Sentalin afirma que sempre será uma questão pessoal. “Para aqueles que buscam estabilidade e tem facilidade de se adaptar a um modelo mais estático de carreira, certamente vale. Ao passo que aqueles que valorizam competitividade e não se adaptam a tarefas rotineiras e carreira estática, não vale a pena. Penso que o melhor profissional, independente da área de atuação ou modelo de carreira escolhido, é aquele que se encontra no seu dia a dia de trabalho. Daí a importância em pesar os motivos antes da escolha em ingressar no serviço público”, pontua. Se por um lado a estabilidade é um dos pontos fortes da carreira pública e o que motiva milhares de concurseiros a persistirem nos estudos, a burocracia em algumas tarefas pode ser um aspecto negativo. O consultor confirma que, em geral, esta tem sido uma das principais queixas dos servidores. “A burocracia gera processos lentos, com diversas instâncias de decisões e até mesmo a falta de incentivo para a progressão na carreira, causando até o ‘o engessamento da administração pública’.

 

 

Fonte: Os prós e contras da carreira pública. Confira na matéria com o especialista da IBE Conveniada FGV, Alcidnei Sentalin http://www.jj.com.br/noticias-22807-os-pros-e-contras-da-carreira-publica

Fique por dentro

Assine nossa Newsletter e receba as novidades por email
// Acesso rápido
Get in touch

872 Arch Ave. Chaska, Palo Alto, CA 55318
[email protected]
ph: +1.123.434.965

Work inquiries

[email protected]
ph: +1.321.989.645