Nov Azul

O Novembro Azul também ganhou a sociedade brasileira, a exemplo do Outubro Rosa.

Neste mês, diversas entidades se mobilizam em uma campanha de conscientização dirigida, em especial,
aos homens, para conscientização a respeito de doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico
precoce do câncer de próstata.

A doença é a mais frequente no sexo masculino, ficando atrás apenas do câncer de pele. Estatísticas apontam
que a cada seis homens, um é portaor. O problema é que o preconceito ainda mata. O exame é um tabu e muitos
deixam de procurar o médico por este motivo.

Segundo o professor de gestão de pessoas da IBE Conveniada FGV, Vagner Sandoval, é preciso ver o Novembro Azul com muito
entusiasmo. “As pessoas são o principal ativo da organização, por isso todas as ações que foquem em melhorias
para as condições delas, devem ser incentivadas”, diz.

Para ele, ainda que uma organização seja inteiramente robotizada, ainda serão necessárias as pessoas. “São
elas que programam ou consertam as máquinas. São elas que projetam as ações”, diz.

Sandoval explica que saber gerir gente eficazmente envolve saber que a qualidade de vida é essencial. “A gente
precisa de gente para produzir e para vender. Precisa de gente para projetar e divulgar. Precisa de gente para
liderar e executar. Logo, saber definir as necessidades dessa gente é fundamental”.

Em uma organização cuja Cultura é justamente focada em gente, as ações que visam a qualidade de vida e
incentivo à saúde são mais do que bem-vindas.

Novembro Azul é de todos

Mas, engana-se quem pensa que o Novembro Azul é só para os homens. Na ação, as mulheres tem o papel de
ajudar na divulgação e conscientização da necessidade do exame periódico.

“Novembro Azul em nós todos”, finaliza o professor!

 

REMOVER TODOS
COMPARE
0