O funcionário é seu maior vendedor
Alberto Augusto
Imaginem só que uma empresa lança um produto ou um novo serviço e seus funcionários são os últimos a saber. Ou ainda ficam sabendo por meio de outras pessoas ou pela imprensa. O que parece um absurdo é a realidade de muitas empresas nacionais, que ao se preocuparem apenas com a qualidade e o desenvolvimento de seus produtos, esquecem de comunicá-los ao seu primeiro público: os funcionários.
Isso é comunicação interna e ela é prioritária. É necessário um esforço real de comunicação dentro de uma empresa, órgão ou entidade, que estabeleça canais que possibilitem o relacionamento da direção com os diferentes públicos internos, de maneira rápida, transparente e eficaz.
Algumas empresas já perceberam isso e passaram a incluir no seu orçamento anual os custos com a comunicação interna, mas muitas ainda resumem esse trabalho ao “jornalzinho” da empresa, feito, infelizmente, de maneira amadora por funcionários que têm outras funções na organização. Ora, se têm outras funções, não têm tempo nem conhecimento para elaborar uma ferramenta de comunicação de acordo com os reais interesses da empresa.
Para isso, existem profissionais, na maioria jornalistas especializados em comunicação empresarial, preparados para traçar um cronograma, um projeto editorial e pautas mensais pertinentes aos interesses mais importantes de cada empresa. Não existe uma fórmula pronta, um esqueleto de jornal a ser seguido, uma receita de bolo. Existe sim um estudo, seguido de um planejamento, que juntos resultam em um material de comunicação eficiente, que divulgue os objetivos do negócio, as metas corporativas e a cultura organizacional, de forma a atingir não só os funcionários, mas seus familiares e amigos também.
Em 2012, a Aon Hewitt, empresa especialista em retenção de talentos, fez uma pesquisa global, que envolveu 400.000 profissionais em 258 organizações no planeta, e mostrou que as empresas que possuem um alto nível de engajamento entre seus funcionários são 78% mais produtivas e 48% mais rentáveis.
A pesquisa também mostrou que um colaborador desengajado pode custar à empresa 10.000 dólares no lucro anual, em média. Mesmo assim, só quatro em cada 10 colaboradores no mundo estão engajados na sua empresa. Comunicar-se, então, com seus funcionários seria hoje o maior desafio dos profissionais de RH? Parece que sim.
Nesse contexto, a comunicação interna pode ser uma grande aliada para estabelecer, ampliar e manter os vínculos racionais e emocionais entre empresa e trabalhador. Creio que não basta apenas manter um talentoso e motivado time, se ele não estiver bem informado sobre as estratégias e lançamentos dos produtos ou serviços desenvolvidos na empresa onde trabalha.

 

A Tantas Comunicação é dirigida pelos jornalistas Juliana Freitas e Alberto Augusto e elabora estratégias de comunicação integradas destinadas ao fortalecimento da imagem e da credibilidade das organizações junto aos seus públicos.
REMOVER TODOS
COMPARE
0