O Coaching como estratégia de transformação de pessoas
Sergio Miorin
Como eu transito dentro de diversas empresas, noto que a prática da ferramenta coaching vem crescendo muito. A ferramenta coaching vem se tornando cada vez mais estratégica dentro das organizações, transformando pessoas/colaboradores/profissionais, trazendo resultados cada vez mais satisfatórios.
Dentro das organizações existe o clima organizacional que, por sua vez, tem o sucesso alcançado conforme o clima da liderança, o qual está sendo desenvolvido pela ferramenta coaching.
O coaching, como ferramenta de líderes, desenvolve equipes, transformando, assim, as organizações. Ofeedback (retorno) dos liderados é extremamente valioso para o desenvolvimento da ferramenta e da equipe.
A liderança vem fortalecendo cada vez mais o processo de gerenciamento, buscando sempre o aprendizado constante, se capacitando e trazendo valor para as organizações.
O tempo é escasso cada vez mais, valioso. Assim, a estratégia e a gestão, juntamente com a ferramenta coaching, são sinônimos de resultado alcançado.
A estratégia é o pulmão da mudança, e esta precisa existir no mundo competitivo em que vivemos. A velocidade do desenvolvimento de produtos, técnicas de atendimento, tecnologia e inovação caminha muito rapidamente. Tomemos como exemplo um curso de graduação de quatro anos: quando o aluno chega ao último ano, o que ele aprendeu no primeiro já está desatualizado.
Para partirmos do hoje, aplicarmos a mudança e chegarmos ao amanhã, rapidamente, o diálogo coaching contribui muito.
A ferramenta coaching fortalece a estratégia não no imediatismo, mas os resultados são alcançados rapidamente, dependendo, é claro, da quantidade de vezes que o líder aplica a sua ferramenta no dia a dia.
O ponto importante em tudo isso é o respeito pelas pessoas: estas não podem ser tratadas como simples números.
A conversa coaching cada vez mais vem crescendo como ferramenta, demonstrando a cada dia que o trabalho intelectual, do conhecimento, da inovação, vem substituindo o trabalho físico, braçal, repetitivo, ou baseado em tarefas.
O gerenciamento é preciso, trazendo o controle e a organização mais presente, alcançando resultados para as organizações.
Quanto mais tempo demoramos a aderir a ferramentas que trazem resultados, mais tempo iremos demorar para ficar entre os melhores em cada segmento.
Os profissionais, de uma forma geral, vêm buscando a educação continuada. No modelo tradicional/convencional exercem uma única função a vida toda. O novo, o desafio, a mudança ficam adormecidos. A educação vem ficando obsoleta mais rapidamente, os empregos para vida toda estão em extinção. A experiência em empresas diferentes com a diversidade dos seus colaboradores acaba somando experiência vivenciada.
Os executivos juntamente com suas competências, habilidades, inovação, entre outras, precisam ser recicladas full time (o tempo todo).
Quanto mais alto é seu nível de decisão na empresa, mais coaching você precisa. Pense nisso, reflita com carinho.
Em novembro teremos a segunda turma do “The Coaching Clinic” para gestão e liderança em São Paulo, Capital.
Sergio Henrique Miorin é Graduado em Engenharia Elétrica modalidade em Eletrônica pela USF – Universidade São Francisco, Pós-Graduado Especialista em Engenharia de Redes e Sistemas de Telecomunicações pelo INATEL – Instituto Nacional de Telecomunicações, Pós-Graduado Especialista MBA em Gestão Empresarial pela FGV – Fundação Getúlio Vargas e mestrando em Educação pela Unisal. É Diretor Geral da SM – Consultoria, Treinamentos e Palestras, colunista no Jornal de Valinhos, consultor de empresas e leciona em instituições de ensino, em cursos técnicos, graduação, pós-graduação especialização e pós-graduação especialização MBA como: IBE/FGV
Fonte: Panorama de Negócios
REMOVER TODOS
COMPARE
0