fbpx
Sitenoticia

No Dia das Mães, filhos terão que gastar mais, diz FGV

Os preços de TV, celulares e acessórios pessoais tiveram queda, mas prestação de serviço como shows, salão de beleza e restaurantes tiveram aumento

Para o Dia das Mães deste ano, uma boa e uma má notícia, de acordo com levantamento do economista da FGV/IBRE, André Braz. A primeira é a de que a maioria das sugestões de presentes está abaixo da inflação acumulada pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV/IBRE), que registrou alta de 8,41% entre maio de 2014 e abril de 2015.

Os destaques ficaram com os aparelhos de TV que tiveram queda de preço de 5,08%; com os celulares e cintos e bolsas que estão 4,61% e 0,84% mais baratos, respectivamente. A média dos produtos e serviços destinados às mães subiram 6,93% no mesmo período. Ou seja, mesmo pesando mais no bolso do que ano passado, também ficaram abaixo da variação acumulada pelo IPC/FGV.

Já a segunda notícia está longe de ser agradável. Para os filhos que quiserem levar suas mães para passear, o custo dos serviços estão mais salgados. Nos últimos 12 meses, o valor do ingresso de shows musicais subiu 21,88%; serviços de salão de beleza, 10,88%; e os restaurantes estão, em média, 8,73% mais caros.

Braz explica o que pode ter influenciado na queda de preços dos eletroeletrônicos: “O segmento é competitivo, o crediário está mais caro (devido a elevação dos juros) e há sempre modelos mais antigos em promoção”. Já quanto aos serviços, o economista salienta que a razão da alta de preços está relacionada ao aumento do preço dos administrados, principalmente custos relacionados a tarifa de energia, além de salários e aluguéis.

A dica do professor doutor de Economia e Empreendedorismo da IBE Conveniada FGV, Paulo Ferreira, é fazer orçamento em diversos locais antes da compra, inclusive na Internet. “Pesquisar preço não custa nada e é preciso ter em mente que presente bom nem sempre é o presente mais caro. Vale a pena usar a criatividade para não deixar de presentear”, aconselha.

Para ele, vale a pena até encontrar uma boa opção na internet, mesmo que demore um pouco para chegar. “Compras online geralmente saem mais em conta, mas é preciso checar a procedência e a confiabilidade do site. Além disso, o diferencial é a possibilidade de dar um presente inusitado”, conclui.

REMOVER TODOS
COMPARE
0