Dicas Mei Financas Femininas Ibe Conveniada Fgv

Quem é Microempreendedora Individual (MEI) sabe da importância de entregar a Declaração Anual Simplificada (DASN-SIMEI) à Receita Federal – popularmente conhecida como declaração do MEI. Este documento serve para informar qual foi o seu faturamento bruto do ano-calendário anterior, ou seja, tudo o que foi apurado com a venda de mercadorias ou na prestação de serviços, com a emissão de nota fiscal ou não. O prazo de envio encerra às 23h59 de 31 de maio.

O site Finanças Femininas contou com a participação de Diego Barbieri, professor de Gestão e Finanças da IBE Conveniada FGV, em sua matéria explicativa, na qual o especialista compartilhou informações sobre as mudanças para a declaração referentes a 2017 e 2018, e dicas para evitar imprevistos.

“Nesse caso, a microempreendedora foi desenquadrada do MEI para o ano de 2017. Sendo assim, é preciso recalcular todos os impostos do ano de 2017 e recolher, agora, no Simples Nacional, que é uma tributação diferente. Então, quem está nessa faixa deve procurar um profissional da área contábil e pedir uma assessoria nessa questão, para poder se regularizar e não ficar com pendências na Receita Federal. Por sua vez, este ano ela pode faturar até R$ 81 mil e voltar a ser MEI”.

Leia mais:

REMOVER TODOS
COMPARE
0