Maiores Lideres Do Brasil Conheca 4 Exalunos Da Fgv.jpeg

Você sabe o que alguns dos maiores líderes do Brasil têm em comum? Todos eles se formaram na Fundação Getulio Vargas.

E a boa notícia é que você também pode seguir os passos deles e estudar em uma das instituições de ensino mais prestigiadas no Brasil e no mundo.

No post de hoje, você vai conhecer um pouco da história da FGV, as vantagens de estudar nessa instituição e descobrir quem são seus ex-alunos que construíram uma carreira de sucesso. Confira!

O que é a FGV?

A Fundação Getulio Vargas (FGV) é uma instituição de ensino superior de direito privado, sem fins lucrativos, que tem como premissa a qualificação de seus alunos nas áreas de gestão e administração, economia e finanças, e políticas públicas, com programas de graduação, graduação tecnológica, MBA e pós, mestrado e doutorado, cursos de extensão, in company e online, atuando também nas áreas de assessoria técnica, projetos e mantendo ainda uma editora para publicações de alunos e ex-alunos da FGV.

É uma das instituições mais prestigiadas do Brasil, liderando rankings mundiais que atestam sua qualidade, como os da Global Go To Think, Emerging/Trendence Global Employability, Eduniversal Business Schools Ranking, Financial Times e nacionais, como o Índice Geral de Cursos do Ministério da Educação (IGC/MEC).

Como surgiu a FGV?

Fundada em 20 de dezembro de 1944, período em que o Brasil lançava as primeiras bases para o crescimento econômico que se confirmaria nos anos seguintes, o objetivo inicial da Fundação Getulio Vargas era a qualificação de seus alunos nas áreas de administração pública e privada.

Acompanhando o rápido desenvolvimento do país, ampliou o foco de atuação, com destaque para as áreas de ciências econômicas e sociais, desbravando fronteiras e avançando para áreas como pesquisa e informação, além de inaugurar unidades de graduação, pós-graduação stricto sensu (administração pública e privada) e pós-graduação (economia, psicologia, ciências contábeis, educação), até alcançar os atuais níveis de qualidade e excelência.

Mais que uma instituição de ensino, a FGV também elabora balanços de pagamento, estudos sobre índices econômicos e contas nacionais, visando o aperfeiçoamento de seus alunos e dos cidadãos brasileiros acerca do desempenho econômico e social brasileiro.

Mas por que estudar na FGV?

A escolha de uma instituição de ensino é um fator decisivo rumo ao futuro profissional. Uma boa escola é o primeiro passo para uma carreira promissora. Por isso, listamos abaixo 5 vantagens de se estudar na FGV. Acompanhe:

1. Networking

Uma rede de conexões não se faz da noite para o dia. Requer convivência, interação e espírito de equipe. Mais do que investir em educação executiva, a Fundação Getulio Vargas busca sempre estar atualizada, estabelecendo relações intra e extraclasse com sua comunidade acadêmica.

Pensando nisso, a instituição criou o FGV Management Network, um espaço que visa a comunicação e o estreitamento de laços entre alunos, professores e coordenadores. Por meio dessa ferramenta, é possível inclusive formar grupos, discutir os trabalhos e indicar determinados artigos para os colegas.

2. Maior visibilidade

O nome e a história de uma instituição de ensino dizem muito sobre ela e o que ela pode oferecer a seus alunos. A FGV foi a primeira instituição de ensino latino-americana a formar bacharéis em administração (pública e de empresas).

Portanto, uma escola de qualidade, com mais de 70 anos de existência, reflete um alto nível de ensino, comprometimento com seus alunos, e maior visibilidade, inclusive internacional.

3. Docentes de excelência

Profissionais altamente qualificados, formação acadêmica de qualidade e experiência de mercado. Esse é o perfil dos professores da FGV, que primam pela excelência e trajetória profissional exemplar.

Muitos têm em seu histórico MBAs, MAs, são mestres, doutores e pós-doutores, com capacitação nacional e internacional, além da habilitação prática em empresas brasileiras e multinacionais.

4. Melhor conteúdo acadêmico

Além do conteúdo disponibilizado nos cursos de graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado, cursos de extensão e online, a FGV oferece aos seus alunos os Centros de Estudo e Pesquisa, que estimulam os alunos a obter conhecimento em suas respectivas áreas.

Todo o material produzido por professores e alunos ligados aos centros é disponibilizado para o público por meio de livros, censos ou artigos divulgados na imprensa. Os centros conduzem projetos de estudos inovadores, surveys, censos, reflexões e insights para publicações acadêmicas.

5. Agrega valor ao currículo

Uma instituição que estimula a prática de dinâmicas com foco no mercado, a alta competência acadêmica e a experiência internacional do corpo docente possibilitam à FGV conceber uma oferta diversificada e abrangente para seu corpo discente, agregando valor ao currículo de seus alunos, seja na área governamental ou no setor privado.

Os ex-alunos da FGV

Muitos estudantes optaram pela FGV por essas e outras vantagens e, no decorrer do tempo, tornaram-se grandes líderes empresariais do Brasil. Abaixo, citamos alguns ex-alunos, mestres em suas áreas e profissionais de sucesso. São eles:

1. Gilberto Meirelles Xandó Baptista, CEO da Vigor

Eleito executivo brasileiro do ano na indústria de alimentos e bebidas em 2014 e 2015, Gilberto Baptista estudou na FGV mais de uma vez. Entre 1984 e 1988, graduou-se em administração e entre 1989 e 2001 fez pós-graduação em finanças e marketing, ambos pela FGV. Recentemente, em 2017, foi nomeado pela JBS para substituir Joesley Batista no Conselho de Administração da companhia, tendo passado pela Natura e pela Sadia.

2. João Carlos Brega, CEO da Whirlpool Latin America

Ele se tornou presidente da Whirlpool Latin America em abril de 2012. Antes disso, foi presidente da Embraco e presidente da Whirlpool no México e no Canadá. Também atuou como Chief Financial Officer para a Whirlpool Latin America e trabalhou como diretor de operações para Argentina e Chile. Juntou-se à companhia em 1995. Também estudou na FGV em dois momentos, tendo se graduado em administração e feito mestrado em finanças.

3. Luiz Roberto Pogetti, presidente do Conselho de Administração da Copersucar

Presidente do Conselho Deliberativo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Luís Roberto Pogetti é também presidente do Conselho de Administração da Alvean Sugar e da Eco-Energy Biofuels, e integra o Conselho de Administração da Logum Logística S.A., empresa responsável pelo projeto do etanolduto. Fez especialização em finanças e mestrado em administração de empresas pela FGV.

4. Murilo Pinto de Oliveira Ferreira, diretor-presidente da VALE

Com mais de 30 anos de experiência no setor de mineração, foi presidente da Vale até maio de 2017, quando se desligou do cargo. Ingressou na empresa em 1998 como diretor da Vale do Rio Doce Alumínio, (Aluvale), atuando em diversos cargos executivos como presidente da Vale Inco (atual Vale Canadá), diretor Executivo de Níquel e Comercialização de Metais Base da Vale e um dos sócios-fundadores da Studio Investimentos. É formado em administração de empresas pela FGV, com pós-graduação em Administração e Finanças, também pela FGV.

Como se vê, a Fundação Getulio Vargas (FGV) reforça o título concedido em 2013, pela revista britânica Times Higher Education, como a universidade brasileira mais bem colocada em um ranking mundial das melhores instituições de ensino superior para quem quer se tornar um CEO das maiores empresas do planeta, a exemplo dos ex-alunos da FGV citados acima.

Então, gostou do artigo? Que tal acessar nosso site e conhecer mais sobre a FGV e nossos cursos?

REMOVER TODOS
COMPARE
0