Imposto de Renda | Especialista da IBE Conveniada FGV dá dicas para a última hora

Imposto de Renda | Especialista da IBE Conveniada FGV dá dicas para a última hora

Prazo para entregar termina nesta sexta-feira, dia 28

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF 2017) termina na próxima sexta-feira, 28 de abril, às 23h59.

A menos de uma semana do fim, a Receita Federal recebeu pouco mais da metade das declarações previstas: cerca de 16,5 milhões das 28,3 milhões esperadas para este ano.

“O brasileiro tem a tendência de deixar para última hora porque acredita ser uma tarefa chata e complicada demais”, comenta o professor de Contabilidade da IBE Conveniada FGV, Cleber Zanetti.

Se você fez como aproximadamente 12 milhões de contribuintes, é melhor correr que ainda dá tempo de concluir o processo. Veja algumas dicas.

Descobrir se você é obrigado a declarar, é o ponto de partida”, pondera Zanetti. “O guia da Receita Federal detalha todos os critérios necessários, mas se encaixar em apenas um deles, você já está nesta lista”, explica ele.

Por exemplo, aqueles que receberam rendimentos tributáveis que passaram de R$28.559,70 no último ano, moram no Brasil desde antes de 31 de dezembro de 2016; tiveram lucro com a venda de imóveis, automóveis e outros bens sujeitos ao imposto de renda; possuíam, em 31 de dezembro, bens acima de R$300 mil ou obtiveram receita bruta de atividade rural acima de R$142.798,50 já estão obrigados. (Saiba mais aqui).

Separar, antecipadamente, os documentos necessários facilita o processo. “Os trabalhadores com carteira assinada já recebem da empresa a declaração necessária contendo todos os rendimentos do último ano”, adianta o especialista.

Quem trabalha por conta própria precisa levantar todos os documentos que comprovam os rendimentos, bens e investimentos. “Esta é a garantia que você não vai esquecer nada, nem errar algum apontamento”, ressalta Cleber Zanetti.

Notas com despesas médicas e educacionais também são importantes para conseguir deduções.

Sobre o Processo

Com os documentos em mãos, é necessário baixar o programa da Receita, disponível para computadores ou dispositivos móveis. (Baixe aqui).

“Com ele, é possível saber se compensa fazer a declaração completa ou a simplificada e é nele que o contribuinte faz todo o lançamento. É só seguir os passos”.

“Ao preencher a sua declaração, dê atenção especial aos gastos dedutíveis, que são aqueles que podem aumentar a sua restituição”, afirma o professor.

Eles podem ser despesas médicas; gastos com educação; inclusão de independentes; pensão alimentícia; aparelhos ortopédicos ou previdência (oficial e privada).

A dica é declarar apenas os itens que podem ser comprovados para não cair na malha fina.

Incluir os dependentes é outra tarefa que exige cuidado. Filhos, irmãos, netos, cônjuges, pais, avós e outros podem ser considerados, desde que atendam aos critérios legais e as rendas deles também sejam declaradas.

“Isso pode aumentar ou diminuir sua restituição. A alternativa é simular os valores com e sem dependentes para ver o que compensa mais”, ensina o especialista.

Por fim, mesmo que você não tenha completado as informações, entregue sua declaração no prazo. “É mais importante conferir os dados principais e os gastos dedutíveis para entregar até 28 de abril.

Depois, com mais calma, você faz uma retificação. Isso evita a multa de, no mínimo, R$165,74”, finaliza ele.

Fique por dentro

Assine nossa Newsletter e receba as novidades por email
// Acesso rápido
Get in touch

872 Arch Ave. Chaska, Palo Alto, CA 55318
[email protected]
ph: +1.123.434.965

Work inquiries

[email protected]
ph: +1.321.989.645