FEEDBACK: UMA RUA DE DUAS MÃOS

 

 

feedback é uma das ferramentas mais eficazes (e, muitas vezes,pouquíssimo valorizada) para promover mudanças, especialmente as comportamentais. É simples e eficaz – aproxima pessoas e torna as relações mais transparentes. Por outro lado, os mitos envolvidos são muitos: da falta de hábito ao desconhecimento da melhor forma de utilizá-lo; do pouco entendimento da técnica aos entraves psicológicos. Nessas situações, muitos líderes, literalmente, travam.

 

O resultado é que o crescimento e o desenvolvimento de equipes e pessoas ficam comprometidos, quando não tratados devidamente. Por isso, é importante desmistificar alguns dissabores que rodeiam o feedback e torná-lo usual, uma prática diária, na atuação do líder.

 

As etapas

 

Vou propor uma tarefa simples a você que pretende melhorar essa habilidade:

 

Tome como base um fato acontecido recentemente, em que você deveria ter dado feedback e não deu. Em uma folha de papel, descreva, detalhadamente, o diálogo, da maneira como você falaria com o seu funcionário.

 

Agora, reescreva esse diálogo, utilizando-se do esquema abaixo:

 

 

1.   Comece o diálogo por meio da empatia – “Eu entendo que você…”

2.  Descreva o fato ocorrido em 1ª pessoa – “porém, EU tenho observadonesses últimos dias…”

3.  Clareie os fatos com exemplos – “Para você entender, durante a reunião de segunda passada…”

4.  Peça a opinião do outro – “O que você pensa sobre isso?”

Neste momento, é importante você ouvir (com muita atenção) o que seu funcionário tem a dizer.

 Administre as emoções que certamente irão surgir. Argumente, com sua percepção,

de forma que você e seu funcionário saiam satisfeitos.

5.  Ao final, motive com um feedback positivo – “Você sempre…”

 

 

Aproximação

 

Observe que, por meio do modelo proposto, contemplamos as diversas competências necessárias ao feedback. É um poderoso “alimento” para a relação profissional (entre líder e subordinado), tão necessária à melhoria do desempenho ou às mudanças de comportamento. O diálogo passa a ser um momento simples e passível de ser realizado diariamente. Da forma como proposto, faz-se desnecessária uma reunião ao final do expediente, com as angústias, medos e temores decorrentes. A ideia é de aproximação e não de repulsa.

 

As sugestões, a seguir, podem melhorar ainda mais a prática do feedback e seu relacionamento com os subordinados:

  • Evite despejar uma enxurrada de situações ao mesmo tempo. Ofeedback deve ser o mais específico possível.
  • Não seja superficial, usando expressões como: “falaram isso ou disseram aquilo”. Seja objetivo e fale diretamente com quem mereça ouvir!
  • Mantenha o feedback impessoal. Fale sobre o comportamento e o fato ocorrido, não da pessoa – jamais julgue alguém.
  • Dê feedback na hora certa. Forneça feedback sobre o comportamento ou o fato, tão logo ele aconteça. Adie somente se não tiver condições para fazê-lo naquele momento.
  • Assegure-se de que haja entendimento. Pergunte à outra pessoa se entendeu e mantenha uma linguagem clara e objetiva.
  • Dê feedback positivo e negativo. As pessoas gostam de ouvir elogios também! Isso constrói uma equipe motivada!

Dar e receber

 

Também fique atento para outros aspectos do processo de dar e receberfeedback:

 

Quando for DAR feedback:

  • Antes de dar feedback, examine seus motivos e averigue se o receptor (quem vai receber o feedback) está pronto e receptivo para ouvi-lo. Pergunte-lhe se é um bom momento para ouvir suas opiniões.
  • Dê seu feedback num local privado, que possibilite o aprofundamento do diálogo, sem que aconteçam interrupções.
  • Ao emitir suas impressões, use frases na primeira pessoa, como Eu penso isso…  Minha opinião sobre…, em vez de Disseram isso… Falaram aquilo… Ouvi dizer… Enfatize que se trata de suas percepções, pensamentos e opiniões e não de terceiros.
  • Descreva o comportamento do outro e como isso é percebido por Você. Para isso, utilize exemplos atuais e reais.
  • Peça a outra pessoa que explique, modifique ou corrija o que você disse – dê espaço ao outro para falar.
  • Depois de dar seu feedback, dê tempo para o receptor responder e ouça com atenção o que ele tem a dizer.

Quando for PEDIR feedback:

  • Antes de solicitar feedback, prepare-se para ouvir coisas que talvez o incomodem, ou que você não gostaria de ouvir.
  • Esteja ciente de que, quem está lhe dando feedback, está descrevendo seu próprio ponto de vista sobre a situação. É a opinião DELE sobre o fato ocorrido.
  • Mas reconheça que seus sentimentos (o que você irá sentir na hora emque estiver ouvindo) são reais e trate de administrá-los!
  • Verifique se compreendeu o feedback: faça perguntas, peça exemplos, esclareça determinados pontos, explique seus atos e corrija certas percepções, mas sem se defender ou rebater.
  • Expresse sua apreciação pelo fato de ter recebido um feedback – agradeça. Talvez tenha sido muito difícil para a pessoa ser franca com você.

Por fim, lembre-se que feedback é uma competência comunicativa. Se você se propuser a melhorar a cada momento, rapidamente irá tirar os entraves que podem dificultar seu aprimoramento.

 

A prática é fundamental! Quanto mais você utiliza, mais proficiente fica!

Fonte: IMVC

Autor: Carlos Eduardo Dalto. Consultor Sênior do MVC, Professor dos MBAs Executivos da FGV

Your compare list

Compare
REMOVER TODOS
COMPARE
0