Feedback: o que é, importância e como fazer – Guia completo!

Feedback é uma palavra que tem feito cada vez mais sentido nos últimos anos. Afinal, saber liderar, mais do que chefiar, é um talento que é muito requisitado pelas grandes empresas, que buscam qualidade nas suas produções e excelência nos seus funcionários.

Dar um feedback é umas das ferramentas de liderança que mais surtem efeito positivo na equipe, seja para que ela tome outro rumo, ou seja para que ela se mantenha no caminho que vem trazendo resultados.

Mas, ao abrir uma empresa, nem todo mundo consegue ser um bom líder. Para isso, é preciso se especializar e entender que liderar uma equipe é um processo árduo e extremamente necessário para o sucesso da empresa.

No texto de hoje, vamos te contar um pouco sobre o poder do feedback em um guia completo, porém, resumido, que vai te levar direto ao ponto! Vamos lá!

O que é um feedback e qual o objetivo dele?

O feedback, em tradução literal, é como uma espécie de comentário, avaliação. Obviamente, o seu conceito é muito mais amplo do que a sua tradução, mas podemos resumi-lo como uma forma de avaliar os colaboradores e avisá-los sobre isso. É uma resposta aos seus estímulos.

Diferente do Feedback externo, onde é o cliente quem oferece essa avaliação para a empresa, o feedback interno é a ideia de que o gestor ou a diretoria do setor, possa avaliar os colaboradores por meio de palavras, principalmente.

O objetivo do Feedback – e aqui estamos falando do feedback externo – é ser uma ferramenta de gestão que vai identificar os pontos fortes da equipe e também suas possíveis dificuldades. Já no feedback interno, a ideia é reconhecer o trabalho dos colaboradores e também moldá-los de maneira com que o trabalho deles fique o mais alinhado possível com os objetivos da empresa.

 

Feedback como ferramenta de gestão aprimoradaAbaixo, vamos falar um pouco da diferença entre feedback positivo e feedback negativo.

1- Feedback positivo

O objetivo de um feedback positivo é garantir que o colaborador seja reconhecido quando faz algo que era esperado – ou além do esperado. Serve como ferramenta de engajamento, de espírito de equipe e pertencimento, além de ajudar na autoestima, que é capaz de gerar mais produtividade e envolvimento na empresa.

2- Feedback negativo

Apesar de ser um tipo de feedback mais difícil de ouvir, ele tem o intuito de corrigir os problemas da equipe e também beneficiar o colaborador, que tem a chance de melhorar. Quando um cliente traz um feedback negativo à empresa, o líder não pensa em formas de transformar essa visão? O mesmo acontece com o colaborador quando recebe uma crítica.

Além da relação entre empresa x cliente e líder x colaboradores, também temos o inverso, que é quando o colaborador fala sobre suas insatisfações e alegrias em trabalhar ali ou quando a empresa dá o feedback ao cliente.

 

Tipos de Feedback

Existem diversos tipos de feedback, mesmo quando não se sabia o termo certo para isso. Mas, nem sempre um feedback é produtivo para sua empresa, sendo capaz de gerar inúmeros problemas. Veja alguns deles, além do positivo e do negativo que já citamos acima.

1- Feedback corretivo:

É o tipo de feedback ideal para corrigir um problema na equipe ou no colaborador, como uma atitude, comportamento ou modo de trabalho que não condiz com a política da empresa. Deve ser realizado com cautela para que não soe como o feedback ofensivo que iremos citar abaixo.

 2- Feedback insignificante

Se o feedback for muito vago e não trouxer nenhum benefício ao colaborador em si e à empresa, ele é insignificante e desnecessário.

3- Feedback ofensivo

Este é um caso de feedback que deve ser evitado ao máximo e que era mais comum antigamente, quando as empresas achavam que os colaboradores deveriam ter medo da demissão o tempo todo.

Para que ele não ocorra, o líder precisa aprender a ter autocontrole, cuidado com as palavras e entender que feedback é necessário para melhorar a equipe, não para ofender ninguém.

 

Dicas para desenvolver um feedback que seja positivo para o negócio

Mais do que valorizar o trabalhador, a empresa precisa se sustentar e ser produtiva. Unir os dois objetivos é a receita para o sucesso! Veja dicas que podem ajudar no feedback positivo:

  • Pratique o elogio de maneira imediata, assim que houver uma ação que seja produtiva para a empresa.
  • Explique o que causou o elogio, não seja genérico.
  • Deixe os elogios para momentos únicos, evite elogiar e criticar ao mesmo tempo.
  • Faça elogios em público, isso deixa o colaborador confiante.

 

Também é necessário saber fazer um feedback negativo, sem apelar para a ideia de feedback ofensivo que citamos acima. Veja dicas:

  • Mais uma vez, não seja genérico. A crítica precisa ser embasada em dados e fatos.
  • Explique o jeito correto de fazer ou agir.
  • Escute o que o colaborador tem a dizer sobre o erro dele.
  • Não seja grosseiro.
  • Não cobre do funcionário aquilo que não foi explicado ou pedido, a famosa cobrança indevida de retorno.
  • Não dê o feedback negativo na frente dos demais.
  • Não corte críticas a respeito do seu trabalho ou da diretoria. É preciso que todo mundo possa se expressar.
  • Cuidado com excessos. Fale apenas o que precisa ser dito. Se estiver muito insatisfeito com o colaborador, o feedback provavelmente só será uma válvula de escape para aguardar o momento do desligamento. E isso não é algo que fará bem para nenhum dos lados.
  • Mostre, sempre que possível, e quantas vezes for necessário, o que você espera do colaborador. Instrua, explique, seja claro, direto e didático.
  • Não sabe o que vai dizer? Crie um roteiro, escreva.
  • Prepare um local adequado para o Feedback, em uma sala privada e com tempo para que possam conversar com calma.
  • Aponte os pontos fortes do seu colaborador. Isso faz com que ele entenda que o feedback não é uma demissão e que é possível melhorar.
  • Fale primeiro e depois deixe espaço para ouvir. Sem pressa. O ideal é que a reunião de feedback, especialmente do negativo, dure ao menos 40 minutos.

 

O feedback não surtiu efeito e precisei desligar o funcionário, e agora?

Às vezes, podemos dar um feedback muito correto e, mesmo assim, perceber que será preciso desligar o funcionário – ou ele pede o desligamento. Esse é um momento difícil para todos, inclusive para o líder, que precisará colocar em prática tudo que aprendeu. Algumas dicas ajudam:

  • No caso do pedido de demissão, tente conversar com o funcionário para entender o porquê dele. Muitas vezes, é o ambiente o problema e não o salário ou os benefícios. Saber disso ajuda a empresa a melhorar.
  • Mantenha uma boa relação sempre. Não é necessário brigas.
  • Será que a liderança falhou no feedback? Será que ele foi ofensivo ou houve um excesso de feedback negativo? Pergunte e peça para que o colaborador explique se há algo que a liderança pode melhorar.
  • Se for a empresa que irá pedir o desligamento, o ideal é que se explique os motivos, mas de maneira menos incisiva, afinal, aquele colaborador não faz mais parte do time e não precisa sair de maneira negativa. Explique os pontos, com educação e cautela para não ofender. Nessa hora, a crítica construtiva é a melhor saída.

Gostou de saber mais sobre Feedback e seus tipos? Compartilhe e visite nosso site para cursos sobre liderança e gestão!

 

 

 

 

 

Fique por dentro

Assine nossa Newsletter e receba as novidades por email
Get in touch

872 Arch Ave. Chaska, Palo Alto, CA 55318
[email protected]
ph: +1.123.434.965

Work inquiries

[email protected]
ph: +1.321.989.645