Educação Corporativa na gestão de resultados
Rosa Perrella
Desejo comentar com os leitores, nesta semana, sobre um artigo da revista Inteligência Corporativa, sobre a contribuição da Educação Corporativa para o resultado do negócio.
Dados da AEC –  Associação Brasileira de Educação Corporativa , mostra a atenção que a atividade tem recebido das empresas, onde aponta um número de 300 Universidades Corporativas no país, contra 10 cinco anos atrás.
Apesar de muitas empresas , ainda não possuir uma metodologia sistemática de avaliação do retorno dos investimentos feitos em formação,  pode-se citar que, segundo o artigo, um dos principais objetivos da educação corporativa, é oferecer suporte às estratégias do negócio e  aumento de competitividade.
Para a redução de custos  com treinamentos, a Educação Corporativa conta com o reforço na aplicação do modelo a distância.
A principal fonte  de referência  são os Estados Unidos , onde o movimento começou com a fundação Crotonville da GE, em 1956.
Concordo com a matéria, que comenta que em geral, as universidades por diversos motivos, não vem conseguindo formar pessoas altamente qualificadas para trabalhar nas empresas, portanto, as empresas precisaram organizar um sistema de educação para poderem crescer de forma sustentável, com foco nas necessidades individualizadas.
Um dado que chama a atenção é que das dez empresas mais admiradas no país, nove possuem um sistema de educação corporativa implantado.
Trata-se de um modelo de gestão do conhecimento, que aproxima as gerações e estimula a troca de experiências e perpetua a cultura de uma empresa.
A educação corporativa permite que as empresas agreguem valor aos seus produtos, serviços, e processos, e consequentemente , melhorando os índices de satisfação e retenção dos colaboradores.
Diante das transformações do mercado, a dinâmica do trabalho e das relações entre as hierarquias, os profissionais de educação corporativa devem aproveitar o momento para transmitir a cultura de valores e promover o encontro de pessoas e capacidades que permitam a inovação, buscando não somente as competências técnicas, mas o desenvolvimento das pessoas.
Para tanto, as empresas que querem resultados por meio da educação corporativa, precisa compartilhar com todos os colaboradores sua visão de futuro, investir em ações de valorização e reconhecimento da educação na empresa e  na formação de multiplicadores internos com programas de aprendizagem que promovam experiências de forma prática.

 

Rosa Perrella é consultora em gestão de pessoas, coaching e mentoring organizacional, palestrante e professora nos cursos de Pós Graduação na IBE FGV Campinas. Especialista em gestão de lideranças e desenvolvimento de equipes.  Mestranda em Educação, formada em Administração,  com  MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores pela IBE Conveniada FGV Campinas, além de Pós-graduação em Gestão Estratégica de Negócios, Psicologia Transpessoal, Marketing Empresarial, Gestão de Pessoas e Negociação Avançada.
Fonte: Panorama de Negócios
REMOVER TODOS
COMPARE
0