Educação continuada não é mais opção, é pré-requisito

lifelong learning

Você já ouviu falar em Lifelong learning? O conceito surgiu e ganhou força nos últimos 4 anos como expressão de que o processo de aprendizado não pode estagnar. Ele é contínuo, recorrente e traz benefícios únicos, não apenas para a vida profissional, mas para a vida pessoal também.

Reflexo do dinamismo atual e das constantes mudanças, o desenvolvimento continuado ou busca contínua por aprender algo novo não se restringe mais ao universo de acadêmicos e pesquisadores, mas perpassa de forma geral todas as gerações, em todos os âmbitos de nossas vidas.

O termo é novo, internacionalizado, mas bem simples, na verdade. O ser humano, por si mesmo, com acesso a tantas milhares de informações por segundo via multicanais, está em constante processo de aprendizado, seja de itens para o seu dia a dia: cuidar da saúde, do físico, da alimentação, receitas, dicas, lazer; seja de informações que propiciem o seu crescimento profissional, o embasamento para novos negócios, mudança de carreira, atualização de ferramentas e tecnologias no seu ambiente de trabalho.

Neste conteúdo, vamos explanar um pouco mais sobre o tema em questão, aplicado à área profissional mercadológica, para que você compreenda sobre seus benefícios, por onde começar e porque fazê-lo. Boa leitura!

 

O Lifelong Learning

Traduzido para o português, o termo significa “aprendizado ao longo da vida”. Na prática, pressupõe que nunca é cedo ou tarde demais para aprender algo novo – e, no que diz respeito ao mercado, esse conceito e estilo de vida está alinhado às demandas empresariais.

A Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ) é uma instituição que representa esse conceito no mundo todo. Seu objetivo é disseminar a ideia e a aplicação prática dessa nova forma de enxergar a educação. Sua principal missão é fazer com que o processo de aprendizagem se torne:

  1. Democrático;
  2. Estimulante;
  3. Permanente;
  4. Voluntário;

Desde 2016, o tema ganhou relevância junto ao termo “reskiling”, destacado pelo Fórum Econômico Mundial como uma necessidade para garantir a empregabilidade e a oferta de profissionais em meio à digitalização das economias. “Reskiling” é a requalificação por si mesmo a partir de uma postura mais ampla de educação continuada e de lifelong learning durante a vida.

Ainda segundo a Lifelong Learning Council, essa nova forma de pensar e agir sobre o processo de aprendizagem se baseia em 4 pilares fundamentais:

  1. Aprender a conhecer: trata-se do prazer e a curiosidade de construir e reconstruir o conhecimento. Aqui se propõe que o conhecimento autônomo seja adquirido estimulando o senso crítico, confrontando ideias, questionando, refletindo sobre os conteúdos e considerando os diferentes posicionamentos em contextos distintos e diversos;
  2. Aprender a fazer: esse pilar aborda habilidade como trabalho em equipe, capacidade de adaptação ao novo, iniciativa, boa comunicação, proatividade e inteligência emocional;
  3. Aprender a conviver: é uma nova forma de enxergar o networking. Reitera que o aprendizado se dá nas relações de convivência, troca de experiências e desenvolvimento vínculos socioafetivos positivos, saudáveis;
  4. Aprender a ser: aqui trata-se de evoluir a partir do aprendizado contínuo e das relações com o contexto, cenários adversos ou favoráveis, com autonomia e protagonismo, bem como responsabilidade sobre suas decisões.

 

Quando se leva em consideração a competição no mercado de trabalho e a adoção de novas tecnologias, ser um “lifelong learner” é fundamental. Essa postura estará baseada nos 4 pilares acima de desenvolvimento e crescimento pessoal e profissional. Ser um profissional melhor está diretamente relacionado a ser uma pessoa melhor para a sociedade.

Aqueles que entendem que educação é fundamental para o desenvolvimento profissional e investem em qualificação e capacitação, certamente terão mais propriedade para lidar com essa dinâmica na complexidade empresarial.

 

Vantagens de incorporar a visão lifelong learning à sua vida

Adotar uma postura de lifelong learning, assumindo que é preciso se reinventar com disposição e regularidade, é se comprometer com o desenvolvimento de competências (hard e soft skills, no que diz respeito às técnicas e aos comportamentos mais adequados), visando aumentar suas chances de prosperar profissionalmente.

Pesquisas apontam que a geração Millennial, por exemplo, busca por continuidade da aprendizagem e que 93% desse grupo está disposto a fazer investimentos próprios para se manter aprendendo de maneira contínua.

Uma das vantagens do lifelong learning reside na habilidade de antecipar, acompanhar e corresponder às transformações do mundo, do mercado e da sociedade. Trata-se de imergir nas tendências, nas tecnologias e nas novidades do mercado enquanto, por outro lado, desenvolve skills comportamentais que alavanquem sua trajetória empresarial.

Pesquisas, como a “Lifelong learning; why do we need it?”, da Universidade de Teerã, afirmam que os maiores salários são direcionados aos profissionais que se mantêm atualizados e apresentam maior capacidade de adaptação.

Entre os benefícios desse tipo de investimento e da adoção do lifelong learning como modo de vida também podemos elencar: preparação para enfrentar, encarar e se adaptar às mudanças do mundo; maior retorno financeiro; melhor capacidade de liderança; maior satisfação pessoal.

Apesar da abordagem colocar muito o indivíduo como protagonista nesse processo, as empresas também são corresponsáveis pelo aprendizado continuado de seus colaboradores, seja por meio do incentivo, seja por meio da implementação de recursos e oportunidades diretas voltadas aos seus times.

E o que as empresas ganham com isso? Muito! Ao desenvolverem programas de treinamento corporativo contínuo dentro das empresas ou incentivarem diretamente a educação executiva continuada de seus colaboradores, a empresa pode se beneficiar com a retenção de talentos, aumento da autoridade da marca, otimização de processos, melhoria contínua em todas as áreas, assimilação de técnicas novas, melhores resultados para os clientes e maior satisfação, contribuição para o branding da marca, entre outros mais.

 

Por onde começar o processo de lifelong learning

O mercado é altamente volátil e exige constantes atualizações, ainda mais frente ao ganho da força da tecnologia em processos, tanto operacionais, quanto de gestão e marketing direcionado a serviços e vendas.

As tendências funcionam como diretrizes estratégicas para as organizações mais competitivas – e as lideranças devem estar sempre aptas a entendê-las e aplicá-las com efetividade.

A metodologia SWAT não deve ficar de fora de seu aprendizado. Sempre temos muito a aprender com nossos concorrentes, bem como com nossas fraquezas e pontos de melhorias. Estar aberto a enfrentar seus ‘medos’ e definir um plano de ação para a promoção de melhorias internas, sejam de produtos, processos ou pessoas, é fundamental.

E claro, os cursos de qualificação são ferramentas de crescimento. Aprofundar-se em conhecimentos e obter novas experiências, preparando-se para posições que exigem mais responsabilidades, lhe permitem tomar decisões mais coesas, acertadas e produtivas.

Nos programas de educação executiva do IBE, o profissional escolhe a sua trilha de conhecimento tanto em áreas mais tradicionais quanto nas mais inovadoras, em um modelo exclusivo de especialização que integra conteúdos sobre nova economia com economia tradicional. No IBE, o aluno tem a liberdade de dar início à sua formação executiva pelas disciplinas que mais atendam e contribuam para a alavancagem de sua carreira.

Conheça nossos programas e diferencias para sua carreira e trajetória de vida! Fale conosco.

Fique por dentro

Assine nossa Newsletter e receba as novidades por email