Diversidade

O Brasil é composto por pessoas de várias etnias, pessoas com deficiência, grupos LGBTQIA+, homens e mulheres, por isso, priorizar e respeitar as pautas sobre a diversidade não é mais uma alternativa e sim uma necessidade crescente.

Com uma sociedade altamente diversificada, o mercado de trabalho também precisou se atentar sobre a diversidade nas empresas, aprendendo a lidar com essa cultura no ambiente de trabalho, sendo que a mudança pôde ser observada desde o processo de seleção e contratação, tornando-o adaptado para cada situação, respeitando as individualidades de cada candidato.

Mas, afinal, o que é diversidade e inclusão nas organizações? Como promover a diversidade nas Empresas? Entenda todos os detalhes no conteúdo a seguir.

 

Qual a importância da diversidade nas empresas?

Na edição 2020 do estudo anual Diversity Matters (“diversidade importa”), feito pela consultoria McKinsey, empresas que prezam pela diversidade do time apresentam melhores ganhos financeiros, fazendo com que os lideres sejam admirados e, consequentemente, tenham colaboradores mais produtivos e felizes com o local onde trabalham.

No ambiente de trabalho, a diversidade é um fator que traz uma série de vantagens. Cientes disso, agora, na pandemia, muitas marcas reforçaram seus compromissos com esse tema, favorecendo o respeito entre as equipe, reforçando o aprendizado que só as diferenças são capazes de ensinar e, ao mesmo tempo, fortaleceram a sua marca perante o público.

De fato, a presença de um time diverso e respeitoso traz dinheiro, bons resultados e, consequentemente, felicidade para todo o time. Exemplo disso, em 2019, um outro estudo realizado pela mesma consultoria, apontou que as empresas que promovem equidade de gênero em cargos de liderança tendem a ter resultado financeiro 25% maior do que as demais companhias.

Além dos resultados financeiros, a diversidade nas empresas faz com que o ambiente de trabalho seja acolhedor e estimulante para os funcionários, fazendo com que eles fiquem mais motivados com a empresa e felizes ao realizar as atividades rotineiras. Confira outros aspectos positivos sobre a efetividade dessa cultura:

  • Diminuição da rotatividade
  • Aumento da criatividade no ambiente
  • Melhoria da imagem da empresa
  • Fortalecimento da marca perante o público
  • Respeito, admiração e confiança, dentro e fora da organização

 

O que fazer com a diversidade em uma empresa?

Por conta da crise causada pela Covid-19 e das inúmeras transformações comportamentais e tecnológicas geradas por ela, mais do que nunca, temas ligados à acessibilidade, empoderamento e diversidade tornaram-se importantes pautas de debates e reflexões, dentro e fora das empresas.

Para fomentar e incentivar a diversidade e a inclusão dentro da empresa, um dos primeiros passos é criar programas de inclusão, fortalecendo os laços entre os colaboradores.

Os gestores devem criar espaço para debates, pois essas conversas podem ser extremamente produtivas, ajudando a instituição na criação de medidas de acolhimento para todos os públicos.

Outra importante ação incentivada pela liderança é a realização de programas de voluntariado, capazes de contribuir para a política de aceitação, podendo ser experiências positivas para o relacionamento entre os profissionais.

 

Como falar de diversidade na empresa?

Fortalecendo o senso de equipe e a aceitação das diferenças entre os seus colaboradores, empresas como Sabin, Santander, PWC e Avon, destaques no Guia Exame de Diversidade, estão provando cada vez mais o seu valor ao divulgar os seus programas que reforçam e valorizam essa cultura.

Divulgado pelo Instituto Ethos, na segunda edição do Guia – elaborado com o objetivo de avaliar as melhores práticas em diversidade e inclusão, considerando aspectos quantitativo e qualitativos, a empresa escolhida como “empresa do ano” foi a Sabin Análises Clínicas e os destaques por recorte foram:

  • Mulheres – Avon;
  • Étnico-racial – Santander;
  • Pessoas com Deficiência – Sodexo;
  • LGBTI+ – PwC.

 

A seguir, veja alguns exemplos de como algumas dessas empresas lidam e tornam esse tema presente no dia a dia, com informações coletadas pela revista Exame.

 

Laboratório Sabin

Fundado em 1984 por duas mulheres, a empresa se destaca pela presença feminina, onde elas correspondem a cerca de 75% do quadro de funcionários, percentual que se repete nos cargos de liderança.

Mas, além da grande participação das mulheres, em 2018, a empresa criou um programa de diversidade e inclusão para garantir ações de promoção de grupos sociais, muitas vezes já presentes na companhia:

  • Os negros, por exemplo, são 55% no quadro total e ocupam quase metade dos cargos de liderança;
  • Com mais de 5.765 funcionários, também cumpre a cota legal de pessoas com deficiência (PCD);
  • Existem, também, políticas de inclusão para o público LGBTI+.

 

White Martins

Desde 2017, na White Martins – fabricante brasileira de gases industriais, parte das vagas oferecidas aos estagiários é exclusiva para negros. O objetivo é possibilitar o aumento da equidade racial no programa de entrada para, posteriormente, promover maior inclusão também nos cargos de liderança.

  • Entre os estagiários da empresa, 58% são engenheiros, sendo que metade são mulheres e 37% são estagiários negros.

 

Banco Santander

No banco Santander, embora as mulheres já sejam a maioria no quadro de funcionários, há ainda um desequilíbrio nos cargos de liderança.

De acordo com as pesquisas, essa situação trata-se de um desafio comum, mesmo entre empresas que buscam valorizar a diversidade. E, para lidar com isso, o banco encontrou nas mentorias, uma alternativa para lidar com essa situação.

  • Para o Santander, traçar metas também é importante para avançar, por isso, apostou no fortalecimento das mentorias para os cargos de liderança, além de estabelecer metas por áreas, e não mais uma meta geral para todo o banco.

Avon

No ano passado, a Avon anunciou grandes medidas em prol da diversidade e cuidados com o próximo, principalmente em temas ligados às mulheres, por conta do grande público feminino e, claro, do seu time de revendedoras. Acompanhe:

  • Em março do ano passado, o grupo Natura anunciou que o Instituto Avon destinaria globalmente 1 milhão de dólares para organizações que atuam na linha de frente para apoio a mulheres e crianças vulneráveis;
  • Com objetivo de estimular o engajamento de líderes do setor privado para assegurar o compromisso pelo fim da violência, em parceria com a ONU Mulheres e a Fundação Dom Cabral, a empresa lançou no Brasil a Coalizão Empresarial pelo Fim das Violências contra Mulheres e Meninas;

 

O programa foi lançado em agosto de 2019 e na publicação da matéria já contava com 108 empresas apoiadoras, que se comprometem a combater o assédio sexual no ambiente de trabalho e dar suporte às mulheres em situação de violência doméstica. Mais recentemente, por causa da pandemia do coronavírus, a empresa lançou o movimento #IsoladasSimSozinhasNão.

Achou interessante? Veja mais conteúdos como este em nosso blog!

 

Your compare list

Compare
REMOVER TODOS
COMPARE
0