Sitenoticia

Horário de Verão começa sábado: adiante uma hora em seu relógio

Especialistas afirmam que o maior impacto na queda de consumo é na iluminação artificial, já que o dia escurece uma hora mais tarde

 

16/10/2015 – 16h31 – Atualizado em 16/10/2015 – 19h07 | Adriana Leite
[email protected]

 

Foto: Dominique Torquato/ AAN

Com uma hora a mais de luz natural no final do dia, as pessoas ficam mais dispostas à prática de atividades físicas

Com uma hora a mais de luz natural no final do dia, as pessoas ficam mais dispostas à prática de atividades físicas
A partir da meia-noite deste sábado (17), os relógios devem ser adiantados em uma hora. A 45º edição do Horário de Verão brasileiro vai se estender até o dia 20 de fevereiro de 2016 e vai vigorar nos estados de Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Distrito Federal.
A projeção do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é que no período haja uma diminuição de 2.610 MW no horário de ponta de demanda. Especialistas afirmam que o maior impacto na queda de consumo é na iluminação artificial, já que o dia escurece uma hora mais tarde.
O órgão estimou que R$ 240 milhões serão economizados em decorrência da menor dependência de geração térmica por restrições elétricas e para o atendimento no período de ponta de consumo.
De acordo com o ONS, o governo deixa de injetar R$ 7,7 bilhões em investimentos na ampliação da infraestrutura para atender a demanda específica do Verão.
Neste ano, o País registrou apagões. Em janeiro, dez estados e o Distrito Federal foram afetados por um contingenciamento no sistema para evitar um colapso em decorrência do elevado consumo.
Na área da CPFL Paulista, que contempla 234 municípios, a estimativa é de uma economia de 66.457 MWh no consumo durante o Horário de Verão. O volume corresponde ao consumo da cidade de Campinas durante sete dias.
De acordo com a empresa, no horário de pico, a expectativa é de uma redução de 3,4% na demanda de energia.
Na região de atuação da Elektro, que abrange 228 municípios, a redução será de 30 mil MWh, que serviria para atender a demanda do município de Limeira, que tem 296 mil habitantes, por seis dias. No período de pico, a estimativa é de redução na demanda é 4,6%.
Especialistas afirmaram que a manutenção do Horário de Verão é importante para a economia de energia e para a conscientização da população sobre a relevância de usar de forma racional o insumo.
O regime especial tem como objetivo deslocar o pico de demanda que é das 18h às 21h. Entretanto, os especialistas apontaram que com o calor intenso e a mudança do comportamento do consumidor – que hoje tem acesso mais fácil ao ar-condicionado – o maior volume de consumo é no meio da tarde e não mais no final.
Tendências
O gerente regional da CPFL Paulista, Rodrigo de Vasconcelos Bianchi, afirmou que até o início da década de 2000 a ponta de carga era a partir das 18h, mas o comportamento de consumo mudou nos últimos anos.
“Com o aumento do poder aquisitivo da população, que passou a comprar mais eletrodomésticos como o ar-condicionado, o período foi deslocado para o pico de calor à tarde que é as 15h” , comparou.
O executivo afirmou que não acredita que os apagões se repitam neste ano ou no próximo. “Minha opinião pessoal é que o sistema está preparado para atender a demanda do País”, comentou.
O gerente destacou que o Horário de Verão é uma medida que visa reduzir o consumo, principalmente, do sistema de iluminação artificial. Bianchi apontou que na área da CPFL Paulista a expectativa é de redução de 0,5% no consumo.
“A economia daria para atender uma cidade como Campinas, com mais de 1,1 milhão de habitantes, por sete dias”, observou.
Bianchi salientou que o Horário de Verão é importante para conscientizar a população sobre a necessidade do uso racional da energia elétrica e também é um incentivo para que as pessoas se preocupam em melhorar a qualidade de vida.
“Com uma hora a mais de luz natural no final do dia, as pessoas ficam mais dispostas à prática de atividades físicas”, disse.
Em nota, a gerente de Planejamento de Mercado e Suprimento de Energia da Elektro, Renata Massaro, afirmou que ” a redução reflete em todo o sistema elétrico brasileiro, proporcionando uma melhoria na qualidade e na segurança operacional do sistema”.
A partir desta semana, a empresa disponibiliza no site um simulador de consumo e tarifas. O consumidor poderá consultar a ferramenta no www.elektro.com.br/sua-casa/simuladores
Crise hídrica
O professor da IBE-Fundação Getúlio Vargas (FGV), Luiz Fernando de Araújo Bueno, afirmou que com a crise hídrica aumentou a preocupação com a economia de energia elétrica. “A nossa matriz energética é hidráulica e a falta de água provoca uma menor capacidade de geração nas hidrelétricas.
O Brasil hoje utiliza quase todas as térmicas para a geração de energia. O Horário de Verão é importante para a redução do consumo e a conscientização da população”, disse.
Ele ressaltou que os consumidores devem lembrar também o alto custo do insumo que teve fortes reajustes neste ano.
“A redução do consumo de energia também tem reflexo no bolso. Uma hora a mais de luz pode fazer diferença na conta se o consumidor souber economizar. O Horário de Verão é um hábito que já foi incorporado pelo brasileiro” , comentou o professor da FGV.
Histórico
O Horário de Verão foi adotado no Brasil pela primeira vez em 1931. Porém, de forma consecutiva, o regime especial teve início há 29 anos.
Os relógios são adiantados em uma hora nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.
Desde 2008 foi estabelecido em lei que o Horário de Verão vai começar a zero hora do terceiro domingo do mês de outubro e se estenderá até a zero hora do terceiro domingo do mês de fevereiro do ano seguinte.
Entretanto, no ano em que o final do Horário de Verão coincidir com o domingo de Carnaval, o fim do regime especial é postergado por uma semana. Além do Brasil, outros países também adotaram a medida como uma forma de economizar energia.
Na lista estão países da União Europeia, nações que formavam a antiga União Soviética, boa parte do Oriente Médio (Irã, Iraque, Síria, Líbano, Israel, Palestina), uma parcela da Oceania (Austrália, em parte do seu território, e Nova Zelândia), a América do Norte (Canadá, Estados Unidos e México), países da América Central (Cuba, Honduras, Guatemala, Haiti e Bahamas) e da América do Sul (Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile).
O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) afirma que os principais benefícios da redução da demanda no período de ponta proporcionados pelo Horário de Verão são aumento da segurança operativa; maior flexibilidade para efetuar manutenções e redução de cortes de carga em situações de emergência; além da diminuição dos custos de operação do Sistema Interligado Nacional.
Fonte: http://correio.rac.com.br/_conteudo/2015/10/capa/campinas_e_rmc/395578-horario-de-verao-comeca-sabado-adiante-uma-hora-em-seu-relogio.html
REMOVER TODOS
COMPARE
0