Incerteza

Confiança Empresarial atinge maior nível desde dezembro de 2014 – “O bom resultado do ICE em
setembro mostra que a recuperação da economia ganha força, se dissemina entre os diferentes
setores e se sobrepõe aos ruídos do ambiente político, responsáveis pela rateada do índice em
junho”, afirma Aloisio Campelo Jr., superintendente de Estatísticas Públicas do IBRE.

O Índice de Confiança Empresarial (ICE), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Economia da FGV (IBRE)
subiu 1,3 ponto em setembro, alcançando 87,3 pontos. Após a terceira alta consecutiva, o
indicador atinge o maior nível desde dezembro de 2014 (87,6 pontos).

“O bom resultado do ICE em setembro mostra que a recuperação da economia ganha
força, se dissemina entre os diferentes setores e se sobrepõe aos ruídos do ambiente político,
responsáveis pela rateada do índice em junho. Um bom sinalizador de consistência da atual tendência
de alta da confiança empresarial é a lenta mas contínua melhora da percepção sobre as condições
correntes do ambiente de negócios”, afirma Aloisio Campelo Jr., superintendente
de Estatísticas Públicas do IBRE.

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) consolida os índices de confiança dos quatro macrosetores
cobertos pelas sondagens empresariais produzidas pelo IBRE: Indústria, Serviços, Comércio e Construção.

Considerando-se os dois horizontes de tempo da pesquisa, a maior contribuição para o aumento da
confiança empresarial em setembro foi dada pelo Índice de Situação Atual (ISA-E),
que cresceu 1,2 ponto em relação ao mês anterior, alcançando 82,9 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE-E) avançou
1,0 ponto,para 93,8 pontos.

Este foi o terceiro mês consecutivo em que o ISA-E avançou mais que o IE-E, levando a distância
entre os dois indicadores a recuar para 10,9 pontos, a menor desde maio de 2016 (6,4 pontos).
A maior distância entre os dois indicadores continua sendo observada no setor da Construção
(23,0 pontos), seguido por Comércio (11,2), Serviços (8,4), e Indústria (4,3).

Em setembro, a confiança avançou em todos os grandes setores. A maior contribuição para a alta
de 1,3 ponto do ICE no mês foi dada pelo Comércio (0,6 ponto), seguida pelo setor de Serviços
(0,5 ponto). A Indústria e a Construção contribuíram com 0,1 ponto cada.

Difusão da alta da confiança entre os segmentos

Em setembro de 2017, a confiança aumentou em 67% dos 49 segmentos pesquisados pelo IBRE para
compor o ICE. Considerando-se médias móveis trimestrais, a proporção de segmentos em alta na margem é de 53% do total.

Para a edição de setembro de 2017, foram coletadas informações de 5.033 empresas entre 1º e 26 de
setembro. A próxima divulgação do ICE ocorrerá no dia 1º de novembro.

O resultado completo e o material complementar do estudo estão disponíveis no site.

Fonte: FGV Notícias

Your compare list

Compare
REMOVER TODOS
COMPARE
0