Como Evitar Que Ceos E Executivos Sofram Da Sindrome De Burnout.jpeg

A pressão do trabalho já afetou sua saúde? Segundo estudo da International Stress Management Association (ISMA), o Brasil é o segundo país com os profissionais mais estressados do mundo, atrás apenas do Japão. Dos mais de 100 milhões de trabalhadores brasileiros, cerca de 30% sofre com problemas decorrentes do estresse, como a Síndrome de Burnout.

Fato é que, por aqui, essa doença vem se tornando cada vez mais comum entre CEOs e executivos de grandes empresas. Reuniões, prazos e demandas que surgem diariamente fazem com que esses profissionais acumulem um alto nível de estresse, o que causa um sério prejuízo na qualidade de vida.

A boa notícia é que há diversas formas de prevenir o problema: basta adotar os hábitos certos e mudar alguns comportamentos. Pensando nisso, neste post, explicamos o que é a Síndrome de Burnout e o que pode ser feito para driblar a doença. Quer saber mais? Confira a seguir!

O que é a Síndrome de Burnout?

Síndrome de Burnout é o acúmulo de estresse gerado por uma atividade profissional muito intensa ou competitiva. Essa sobrecarga desencadeia uma série de reações no organismo, culminando em um constante cansaço físico e mental. Abaixo, veja alguns dos sintomas mais comuns da doença.

Fadiga extrema

Tudo começa com uma sensação diária de falta de energia, sobretudo ao final do expediente. Nessa fase inicial, a pessoa costuma pensar que é apenas uma reação normal do corpo ao dia de trabalho. Mas, se o problema não for reconhecido e tratado, pode evoluir para estágios muito mais graves.

O profissional com burnout se sente completamente drenado de energia e exausto o tempo todo, de forma visível para ele próprio e para quem o cerca. Muitas vezes, a pessoa sente até medo do trabalho que a aguarda ao longo do dia, tamanha a intensidade das cobranças e a falta de condições para cumprir as demandas.

Insônia

Assim como a fadiga física, a insônia é um sintoma que começa leve e aumenta sua frequência conforme a doença se intensifica. Mesmo que a pessoa consiga dormir, a qualidade e a duração do sono são péssimas. Portanto, se você notar uma dificuldade diária para pegar no sono ou chegar a passar noites acordado, fique atento: pode ser uma evidência clara de Burnout.

Ansiedade

O nível da ansiedade causada pelo burnout é tão alto que a pessoa afetada não consegue mais ser produtiva no trabalho. Há uma enorme dificuldade de concentração, o que gera procrastinação, sentimento de fracasso e perda da motivação.

Com isso, o profissional passa a achar que não tem mais valor por não conseguir realizar suas tarefas como antes, o que pode causar depressão ou outro problema mais sério.

Sintomas físicos

Quando a mente não está bem, o corpo grita. A síndrome de burnout costuma reduzir a imunidade da pessoa, fazendo com que ela fique doente com mais frequência. Além disso, há sintomas físicos típicos do estresse acumulado, como:

  • dor no peito;
  • palpitações;
  • dores de cabeça frequentes;
  • tonturas.

Como combater a Síndrome de Burnout?

Encontrar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional é a chave para evitar o burnout. Muitos executivos se orgulham de ser workaholics, investindo todo o seu tempo em responder e-mails e participar de reuniões. No entanto, esse é o caminho mais fácil para o colapso mental.

Cuidar melhor de si mesmo é essencial para ter uma boa qualidade de vida. Assim, além de melhorar o bem-estar, o profissional também aperfeiçoa seu desempenho no trabalho, já que uma mente saudável é capaz de produzir muito mais. A seguir, confira algumas dicas valiosas para fazer isso de forma eficiente.

Tenha um sono de qualidade

A maioria das pessoas precisa de 6 a 8 horas de sono diariamente. Dormir menos que isso significa colocar sua saúde e produtividade em risco, já que você não trabalhará com 100% da energia recarregada.

Vale ressaltar que investir na qualidade do sono não é apenas dormir a quantidade de horas recomendada pelos especialistas. Alimentar-se corretamente, manter o quarto silencioso e prezar pelo conforto da cama e do travesseiro também são medidas essenciais para um descanso adequado.

Pratique atividade física

Fazer exercícios físicos estimula o organismo a produzir endorfina, substância que aumenta a sensação de bem-estar. Além disso, praticar esportes melhora a estética, o que contribuiu para a autoestima e a autoconfiança.

Mesmo para executivos com a rotina corrida, é possível reservar um período do dia para alguma atividade física. Inclusive, muitas empresas oferecem opções para seus funcionários, como ginástica laboral, grupos de corrida, convênios com academias, entre outras.

Cuide da alimentação

Certos alimentos e bebidas causam reações no organismo que elevam os níveis de estresse e ansiedade. Entre eles, podemos destacar:

  • cafeína em excesso;
  • gorduras saturadas;
  • bebidas alcoólicas;
  • carboidratos refinados;
  • alimentos industrializados.

Isso não quer dizer que você precisa abandonar a cervejinha ou o hambúrguer para sempre, mas é melhor deixá-los para ocasiões especiais. No dia a dia, prefira uma dieta mais saudável, com frutas, verduras, carnes magras e carboidratos integrais.

Procure um psicólogo

Sessões de terapia são de grande utilidade para aumentar o autoconhecimento e encontrar equilíbrio. Se você já estiver desenvolvendo Burnout, o psicólogo é o profissional ideal para elaborar estratégias contra o problema, traçar novos caminhos e ajudar a definir novos rumos para a carreira.

Reserve um tempo para si mesmo

Dedique, pelo menos, 30 minutos do dia para si mesmo. Faça algo de que gosta ou que o ajude a relaxar, como meditar, refletir sobre os problemas, assistir a um filme ou ler um livro. Isso é fundamental para colocar a cabeça no lugar e perceber que a vida não se trata apenas de trabalho.

Agora que você já sabe tudo sobre a Síndrome de Burnout e como evitá-la, é hora de colocar o que aprendeu em prática. Cuidar do corpo e da mente vai aumentar sua qualidade de vida no trabalho e fora dele, fazendo você curtir mais suas relações pessoais e aumentar seu rendimento profissional. Não deixe o estresse dominar seu dia a dia!

Gostou do artigo? Não se esqueça de assinar a nossa newsletter! Assim, você sempre receberá nossos melhores conteúdos sobre gestão de carreira diretamente no seu e-mail!

REMOVER TODOS
COMPARE
0