Finanças

Com a crise econômica que o País enfrenta, o medo da falência é grande entre os empreendedores. Veja como evitá-la em 5 passos!

1- Acreditar que é preciso valorizar apenas a marca

Enquanto alguns empreendedores não querem ser vistos, pensando que isso tira o valor da marca que vendem, a especialista conta que é muito positivo adotar posturas mais pessoais é um dos passos para evitar a falência. “Se o empreendedor não quiser aparecer e colocar seu estilo, a marca deve ter uma linguagem que permita mais proximidade com o público, criando um personagem, por exemplo”, explica Nathana, que cita os exemplos positivos da Prefeitura de Curitiba, que criou uma linguagem própria, e da bebida Catuaba Selvagem, que responde às pessoas como se fosse uma garrafa conversando com a audiência.

2- Acreditar que o público compra apenas pela qualidade

Ainda que vender produtos ou serviços de qualidade seja a base para qualquer empreendimento, Nathana Lacerda explica que uma marca pode ser ameaçada pela falta de identificação do público com os valores, o posicionamento e as causas que ela defende.“Quando se tem um posicionamento definido, o público se identifica com a marca, e passa a se apaixonar por ela”, explica, destacando casos recentes de produtos que se posicionaram a favor da diversidade ou com propostas inclusivas para todos, e que geraram repercussão positiva. “Repare nas redes sociais a forma como as pessoas conversam com a marca ou trocam memes como forma de interação. Isso acontece porque a empresa sabe bem o que quer e se posiciona para falar com aquele público”.

3- Fazer de tudo

Outra atitude que pode levar uma empresa ou um empreendedor digital ao fundo do poço é fazer muita coisa ao mesmo tempo e tratar de vários assuntos. “Tem empreendedor que fala de tudo um pouco, não tem um assunto específico, e por isso acaba se tornando irrelevante”, conta. Segundo Nathana, o segredo é dominar um assunto específico e atingir o público com profundidade naquele tema. “Reflita sempre se você é especialista em algo ou se apenas fala algumas coisas que algum concorrente sabe mais e faz melhor”.

4- Estudar demais e aplicar de menos

Livros, cursos e eventos sobre empreendedorismo não faltam. “Existe muito conteúdo a ser estudado e o bom empreendedor está sempre aprendendo, mas de nada adianta estudar tudo sem realmente colocar em prática”, explica a coach. Por isso, é necessário estabelecer prazos para colocar em prática o que foi aprendido. “De que adianta saber muito e não mostrar ao público toda a experiência e conhecimento adquirido?”, questiona.

5- Trabalhar sozinho

Uma das ações mais importantes do empreendedor se chama networking. “Quem não constrói uma boa relação com contatos dificilmente consegue crescer”, explica. No entanto, a coach de imagem e reputação alerta para que os relacionamentos sejam genuínos.“Conecte-se com quem tem valores e visões de negócio semelhantes, e não com foco unicamente nos resultados que a pessoa poderá trazer”. O importante, segundo a especialista, é saber que o bom relacionamento é uma das chaves para não viver no anonimato.

Fonte: Revista Gestão e Negócios

REMOVER TODOS
COMPARE
0