Corretora De Valores

Para investir, é necessário ter conta aberta em uma corretora de investimentos. São elas as responsáveis por intermediar as operações de compra e venda de títulos, fundos de investimentos e ativos na Bolsa de Valores e mercado de balcão. Dentre tantas opções, a escolha de uma instituição fidedigna para cuidar dos seus investimentos é um grande desafio e o investidor deve ficar atento em alguns aspectos.

Na contramão das corretoras dos bancos tradicionais, as corretoras independentes costumam oferecer alternativas mais vantajosas. “As corretoras independentes se transformaram em plataformas de investimentos, oferecendo produtos financeiros dos mais diversos, desde títulos públicos até ações e fundos”, diz Celson Plácido, sócio e vice-presidente da escola de negócios e finanças Proseek.

Essas instituições são regulamentas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Banco Central. Portanto, uma boa maneira de verificar a confiabilidade da corretora é acessar o “Cadastro de Instituições” do BC ou o “Cadastro Geral” na CVM.

São mais de 80 corretoras ativas no Brasil e a diferença entre os serviços, ferramentas, movimentação de dinheiro e taxas podem dificultar a decisão, segundo Paulo Tavares, professor de Finanças da IBE Conveniada FGV. “O investidor precisa ter uma estratégia bem definida de gerenciamento dos seus ativos para escolher a corretora que oferece o melhor resultado possível, combinando oferta de produtos e o custo das movimentações”, diz.

corretora de seguros

Na busca por um corretora, é muito importante considerar e avaliar as comissões cobradas. Geralmente, as instituições cobram a taxa de corretagem para as operações de compra e venda na bolsa. Algumas corretoras ainda podem cobrar a taxa de custódia para manter os ativos e a taxa de administração de fundos. As corretoras independentes costumam cobrar menos tarifas e oferecem mais produtos com melhores opções de rentabilidade. “Os custos e encargos das corretoras devem ser os menores possíveis para evitar perda de rentabilidade nos investimentos”, destaca Tavares.

Observe também o tipo de atendimento, plataformas que você terá acesso, como o home broker e a capacidade de operação via celular e aplicativos.

Se o investidor estiver insatisfeito é possível trocar de corretora, pois os papéis pertencem a pessoa e não a corretora. Não existem custos para a transferência de instituição.

Lembre-se que o conhecimento sobre o mercado financeiro jamais deve ser substituído ou terceirizado. Conhecer e entender as aplicações ajudará o investidor a escolher produtos que estão alinhados com seus objetivos.

O melhor investimento nesse momento é o conhecimento para fazer as perguntas certas, evitar comprar soluções mágicas de alta rentabilidade e sem conhecer os riscos reais da operação. Muita gente esquece que resultados passados não garantem resultados futuros”, alerta Tavares.

Fonte: Conexão Seguros Unimed

REMOVER TODOS
COMPARE
0