Vida Pessoal X Vida Profissional
Sergio Miorin
Nos dias modernos, conciliar vida pessoal e profissional é o grande desafio. Muitas vezes as pessoas comentam que quando trabalhamos muito, de 8 a 14 horas que normalmente é a carga horário de executivos e empresários, muitas vezes aos sábados e domingos em casa, não tem muito tempo para o lazer com a família.
Muitas vezes as pessoas trabalham inúmeras horas seguidas em busca de bens materiais como carros de luxo, imóveis e viagens, deixando de lado o que é primordial, os relacionamentos, o desenvolvimento pessoal, lazer e felicidade individual, que todos nós necessitamos.
Atitudes saudáveis como a prática de esporte, teatro, se alimentar bem, um domingo diferente como um piquenique e etc..
Você reserva tempo para suas atividades de lazer? Há um preço a ser pago caso você abra mão de sua diversão, e isso pode resultar em stress elevado, problemas de saúde diversos, exaustão, insônia e desgaste nos relacionamentos. Infelizmente a pessoa só para quando acontece alguma coisa mais grave. Quais as atividades de lazer que deseja fazer e que vem cancelando? Saúde em primeiro lugar, sem saúde não chegamos em lugar algum, não temos produtividade e eficiência do nosso corpo e mente.
Uma atividade saudável permite mais criatividade no trabalho e enriquece sua vida familiar e o contato com os amigos.
Reserve um tempo para a prática de esportes ou de exercícios regulares, pois isso o manterá saudável, disposto, refrescará sua mente para encarar novos desafios.
Podemos então ter um quebra-cabeça da vida pessoal e da vida profissional, compostos pelas seguintes peças:
Relacionamento, filhos, família, diversão, trabalho e progresso pessoal, onde no relacionamento devemos investir na relação e desfrutar momentos agradáveis com o cônjuge. Filhos, dedicar tempo a eles e compartilhar horas de diversão. Família, passar mais tempo com ela. Diversão, devemos reservar tempo para o esporte e o lazer a fim de garantir uma boa saúde. Trabalho, avaliar os objetivos e metas profissionais e esforçar-se para atingi-los. Progresso pessoal, desenvolver e melhorar suas habilidades e competências pessoais.
Quando conquistamos um equilíbrio melhor entre trabalho e vida pessoal, nós descobriremos novos níveis de realização e felicidade.
Por outro lado, quando as pessoas tem um salário baixo e tem tempo, não tem dinheiro para o lazer, porém muitas vezes consigamos fazer muita coisa com pouco dinheiro ou nenhum, o que vale muito é a criatividade.
Por exemplo fazer uma atividade física como correr na rua, não requer dinheiro, simplesmente precisamos de uma garrafa plástica para levar água, que podemos levar de casa, um tênis, camiseta e bermuda, sem custo.
Um desequilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal, pode ter um efeito prejudicial sobre os relacionamentos. Eu falo sempre que quando um colaborador chega na empresa deve deixar os problemas pessoais na porta de entrada da empresa, e entrar com o objetivo de trabalhar. O mesmo deve-se fazer quando chega em casa, deve deixar os problemas da empresa na porta de entrada da casa, isso ajuda e muito o relacionamento. As vezes as pessoas me perguntam:
E quando o casal trabalha juntos na mesma empresa, fica difícil não falar de algum acontecimento. Eu não estou falando que não podemos conversar sobre o trabalho em casa, e nem de casa no trabalho, mas devemos evitar, e não deixar o stress afetar a relação, seja ela no trabalho ou em casa.
O que você espera de um relacionamento? Amor, respeito, cumplicidade, companheirismo, diversão?
Quando sabemos o que queremos, precisamos ter isso como uma prioridade, só depende de nós mesmos, caso as coisas não acontecerem, o trauma virá na sequência.
Precisamos encarar a família como um alicerce, as vezes as pessoas não dão a atenção devida a esse tema. A família deve ser cultivada sempre, não somente quando tem um problema a ser resolvido. Quando colocamos o trabalho em primeiro lugar, pode prejudicar muito a comunicação e o convívio com a família.
Precisamos refletir sobre a importância dos familiares, renovando assim o nosso comprometimento com eles.
O dinheiro compra uma casa mas não compra um lar, o dinheiro é importante para nossa sobrevivência, mas não é tudo, as pequenas coisas muitas vezes não são notadas.
Não são os lugares que fazem as pessoas, mas sim as pessoas que fazem os lugares.
As vezes precisamos refletir, pois não podemos reclamar do que não temos, mas sim fazer bom uso das coisas que temos.
Viver a vida de uma forma leve e com qualidade de vida é o que deveríamos fazer.
Sergio Henrique Miorin é Graduado em Engenharia Elétrica modalidade em Eletrônica pela USF – Universidade São Francisco, Pós-Graduado Especialista em Engenharia de Redes e Sistemas de Telecomunicações pelo INATEL – Instituto Nacional de Telecomunicações, Pós-Graduado Especialista MBA em Gestão Empresarial pela FGV – Fundação Getúlio Vargas e mestrando em Educação pela Unisal. É Diretor Geral da SM – Consultoria, Treinamentos e Palestras, colunista no Jornal de Valinhos, consultor de empresas e leciona em instituições de ensino, em cursos técnicos, graduação, pós-graduação especialização e pós-graduação especialização MBA da IBE Conveniada FGV.
Fonte: Panorama de Negócios
REMOVER TODOS
COMPARE
0