Coaching para mudança comportamental
Sergio Miorin
coaching (metodologia/processo) é uma ferramenta poderosa e que agrega valor para os líderes, muito aplicada no mundo inteiro. A missão de um profissional coach é ajudar empresários, executivos e profissionais, que normalmente compõem o alto escalão do organograma organizacional das empresas, nas mudanças comportamentais.
A ajuda da ferramenta desses líderes de sucesso se dá pela mudança comportamental sempre no foco positivo, no sentido de que as sessões tragam resultados duradouros e mensuráveis. O reflexo desse trabalho vai diretamente no coachee[profissional que recebe o coach (treinador, professor, orientador).
Quando o coach aplica a ferramenta de forma correta e, junto com a sua formação, tem experiência, vivência na ferramenta, a mudança comportamental é grande e nítida. Quem percebe essas mudanças de comportamento são os stakeholders (todos os envolvidos no negócio como: colaboradores, clientes, acionistas e fornecedores).
Para que o resultado aconteça, a primeira pergunta feita pelo coach ao seu futuro coachee é “você está disposto a mudar?”. E a resposta precisa ser sincera, não para cumprir um protocolo ou um pedido de seus superiores, mas para uma mudança comportamental.
Mudar o comportamento de um adulto bem-sucedido, que não tem interesse na mudança, não é uma tarefa fácil. Por sinal, bastante difícil. Mas se ele entende que precisa dessa mudança, o coaching é uma poderosa ferramenta. Quando iniciamos a primeira reunião para definir o tipo de coaching que o cliente gostaria de receber, e o cliente não tem uma resposta 100% sincera, nós da SM – Consultoria, Treinamentos e Palestras preferimos declinar do trabalho/projeto a não conseguirmos atingir os resultados esperados. Nós temos a responsabilidade de escolher os clientes certos e manter o foco do coaching nos clientes e suas equipes. Pela experiência vivenciada pelos nossos coaches, temos relatos de clientes que em muito pouco tempo atingem o resultado, ao passo que outros, num maior período de tempo, não o atingem. Isso tudo depende diretamente de quanto o coachee quer essa mudança comportamental.
Infelizmente, a demanda maior pelos treinamentos e sessões é solicitada por empresas e profissionais mais preparados, os que menos precisam. A maioria dos empresários, executivos e profissionais do primeiro escalão, os que decidem, que mais precisam, não procuram a ferramenta por não conhecer ou por achar que não necessitam, ou que é uma moda passageira.
Os grandes CEOs – Chief Executive Officers (principais executivos de uma organização, maiores autoridades na hierarquia) de sucesso, que são eficazes e comprometidos com as metas e objetivos da empresa, estão sempre tentando se aperfeiçoar, sem nenhuma vaidade, ou mesma arrogância, de pedir e receber conhecimento, habilidades e competência de uma empresa e/ou pessoa.
Capacitação e conhecimento são os únicos investimentos que nos acompanharão para a vida toda.

 

Sergio Henrique Miorin é Graduado em Engenharia Elétrica modalidade em Eletrônica pela USF – Universidade São Francisco, Pós-Graduado Especialista em Engenharia de Redes e Sistemas de Telecomunicações pelo INATEL – Instituto Nacional de Telecomunicações, Pós-Graduado Especialista MBA em Gestão Empresarial pela FGV – Fundação Getúlio Vargas e mestrando em Educação pela Unisal. É Diretor Geral da SM – Consultoria, Treinamentos e Palestras, colunista no Jornal de Valinhos, consultor de empresas e leciona em instituições de ensino, em cursos técnicos, graduação, pós-graduação especialização e pós-graduação especialização MBA como: IBE/FGV,
Fonte: http://www.panoramadenegocios.com.br/2014/06/coluna-do-professor-sergio-miorin_15.html
REMOVER TODOS
COMPARE
0