Ceia de Natal está mais cara em 2014, aponta FGV

Os preços médios ficaram 5,44% mais altos este ano em relação a 2013; mas, ainda assim, subiram abaixo da inflação de 6,81% medida nos mesmo período

Alguns alimentos como cebola e pernil ficaram bem acima de inflação enquanto os presentes tiveram alta menor

Em 2014, para comemorar o Natal com uma mesa farta, as famílias terão que gastar mais do que no ano passado. Um levantamento realizado pelo economista da FGV/IBRE, André Braz, sobre o preço médio de alguns itens tradicionais da ceia natalina mostra que a maioria dos preços dos produtos que estão nas prateleiras dos supermercados este mês está mais salgado frente a dezembro de 2013.

O preço das frutas cristalizadas subiu 16,46% (kg), a avelã ficou 13,27% mais cara (kg), a castanha do Pará 11,82% (kg), as nozes 8,99% (kg), o bacalhau 4,77% (kg) e o panetone 2,75% (500g). Para compensar, o valor do frango especial caiu 10,06% (kg) e o tender ficou 6,91% (kg) mais barato. Ainda assim, o preço médio da lista (5,44%) ficou abaixou da inflação acumulada entre dezembro de 2013 e novembro de 2014 medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da FGV/IBRE que está em 6,81%.

Para o professor da IBE Conveniada FGV e sócio da Economies Consultoria Econômica, João Mantoan, uma das dicas mais famosas e tradicionais na hora das compras, o que inclui os gastos com a ceia natalina, é considerar o fluxo de caixa, por mais simples que seja. “Não gastar mais do que recebe é fundamental. Por isso, muitos deverão ter um Natal e consequentemente uma ceia mais econômica”, destaca.

Acumulado

Em outra pesquisa, que levou em conta os itens calculados pelo IPC (Índice de Preços ao Consumidor) e sua a variação acumulada entre dezembro de 2013 e novembro de 2014, outros alimentos utilizados para o preparo da ceia superaram a inflação da FGV (6,81%). Esses itens subiram 8,38%. Entre os vilões estão: cebola (43,76%) lombo (13,06%), pernil (18,26%), azeitona (14,42%) e vinho (11,89%).

Já os presentes perderam para a inflação, com reajuste médio de 4,08% entre dezembro de 2013 e novembro de 2014. Mesmo assim, há itens que subiram mais que a inflação como: relógios; 9,36% e bijuterias; 7,51%. “Apesar dos presentes terem subido menos que a inflação, a compra de alguns produtos exige preparo financeiro do consumidor. Itens de valor mais elevado como televisores, por exemplo, se financiados, podem subir muito de preço. A dica é comprá-los à vista para fugir das taxas de juros embutidas nos preços”, destaca Braz. Além disso, o economista salienta o dólar pode influenciar o preço de alguns itens. “A oferta e a multiplicidade de marcas pode explicar a diferença na dinâmica dos preços do vinho e do bacalhau, por exemplo”, conclui.

 

Preço Médio

Unidade de medida

Dez/2013

Dez/2014

Var.%

Preço R$

PANETONE

500 g

13,60

13,97

2,75

CASTANHA DO PARÁ

kg

45,04

50,36

11,82

CASTANHA PORTUGUESA

kg

45,49

45,55

0,15

FRUTAS CRISTALIZADAS

kg

13,08

15,23

16,46

NOZES

kg

55,44

60,42

8,99

AVELÃ

kg

34,56

39,15

13,27

TENDER

kg

34,54

32,15

-6,91

UVA PASSAS

kg

23,53

25,55

8,58

Bacalhau (preço médio)

kg

32,20

33,74

4,77

Frango Especial

kg

15,92

14,31

-10,06

Preço total da cesta

313,39

330,44

5,44

 

REMOVER TODOS
COMPARE
0