Divisão de compromissos e disciplina de casais faz com que enriquecimento seja maior que o de pessoas solteiras

O “Sim” do altar pode significar muito mais do que a realização de um sonho pessoal, pode ser o primeiro passo para uma guinada na vida financeira se houver planejamento e disciplina. A estabilidade e a segurança são os principais pontos que propiciam o aumento da riqueza.

Um estudo da Universidade do Estado de Ohio (E.U.A), aponta que o patrimônio de uma pessoa casada pode aumentar 93% depois da união, com crescimento médio anual de 4%.  Para o professor de economia da IBE Conveniada FGV, Mucio Zacharias, o casamento aumenta a possibilidade de um melhor planejamento financeiro. “No casamento, tudo precisa ser feito com muito diálogo, o que faz com que duas visões sejam colocadas sobre o mesmo investimento e aumenta as possibilidades de sucesso”, ressalta.

De acordo com o estudo, pessoas solteiras tendem a gastar mais, o que faz com que a renda cresça menos ao longo do tempo, ao passo que, com os casais, a divisão dos custos e os ganhos em escala na hora de investir fazem com que os recursos acumulados sejam até três vezes maiores.

Segundo Zacharias, o comprometimento do casal é fundamental para que a fórmula funcione. “Na vida a dois, há um maior controle para ambos, uma espécie de prestação de contas que favorece a disciplina e o planejamento. O casal sonha junto e isso gera mais expectativa e projetos futuros. Além disso, aumentam as possibilidades de uma riqueza que possa se perpetuar e aumentar ao longo do tempo, pois o casal repassa essa educação financeira aos filhos. Eles participarão do projeto familiar e darão continuidade ao longo do tempo”, salienta.

 

Número de filhos pode interferir

Dar o melhor para os filhos, tanto em formação quanto conforto. Esse é o sonho de todo casal quando tem um filho. Consequentemente, quanto maior o número de dependentes, maiores serão os investimentos, o que colocará mais barreiras para a acumulação de bens. Um estudo feito pelo Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing (Invent) mostra que, em uma família de classe média, o gasto com a formação de uma pessoa desde o nascimento até a faculdade pode atingir R$1,6 milhão. Isso envolve os gastos com alimentação, educação, saúde, babá, empregada, fraldas, roupas, sapatos, esportes, viagens de férias, mesada, festas, cinema, shows, equipamentos eletrônicos, brinquedos, entre outros.

Segundo Zacharias, o número de filhos tende a impactar no orçamento e deixa-lo mais apertado. “O planejamento familiar e financeiro é a chave para o sucesso. Se houver um bom planejamento, haverá bons resultados”, completa.

REMOVER TODOS
COMPARE
0