BENEFÍCIOS REDUZEM TURNOVER NAS EMPRESAS

O amadurecimento do mundo empresarial resultou em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Com isso, a fidelização do quadro de colaboradores tornou-se palavra de ordem para as empresas e também um desafio, já que profissionais com destaque em suas áreas de atuação passaram a ser disputados pelas organizações. Nesse sentido, cunhou-se a expressão turnover, um termo da língua inglesa que, no âmbito dos Recursos Humanos, é usado para referenciar um sério problema atualmente enfrentado pela empresas, a alta rotatividade de funcionários.
Hoje, cada vez mais empresas se preocupam com a medição do turnover, pois ele pode desencadear uma série de outros problemas como baixa produtividade, queda nos lucros e graves danos à saúde organizacional, uma vez que a rotatividade impacta diretamente na motivação e comprometimento das pessoas, gerando consequências indesejáveis como o absenteísmo, por exemplo, e resultando, por fim, na perda de credibilidade.
Em função desse cenário, uma solução eficaz encontrada pelas empresas tem sido o oferecimento de benefícios inovadores, além da remuneração direta. Existem vários tipos de vantagens que podem ser disponibilizadas aos colaboradores e algumas delas acabam sendo reconhecidas como diferencial de determinada empresa ou cargo.
Cristiano Borin, Gerente de Recursos Humanos da AD Corretora de Seguros, aponta a assistência odontológica e o seguro de vida em grupo como exemplos de benefícios que possuem baixo custo e despertam o interesse do colaborador, contudo, afirma que o plano de saúde costuma ser o benefício favorito e que possui maior atratividade em momentos nos quais um profissional tenha que optar entre duas oportunidades de trabalho. “Plano de assistência médica faz toda diferença e atualmente representa o segundo maior custo com pessoas depois da folha de pagamento”, destaca. Como outros exemplos de benefícios bastante valorizados, Borin cita a implantação de treinamentos e programas estruturados de distribuição de lucros.
Mas independente dos benefícios que fazem mais sucesso, Borin ressalta que para reter talentos, hoje as organizações têm o desafio de apresentar programas de benefícios que sejam realmente atrativos e consistentes. Segundo ele, de nada adianta oferecer um bom plano de assistência à saúde se a empresa não possuir uma boa política de benefícios que contemple, por exemplo, uma contributariedade vantajosa para titulares e dependentes. “As empresas precisam ter cuidado na adoção de seus benefícios, pois um programa desinteressante certamente não irá ser reconhecido como valor agregado. Alguns benefícios podem gerar descontos adicionais aos salários, afetando a remuneração direta e, muitas vezes, gerando consequências negativas na satisfação do colaborador, ao invés de motivá-lo”, alerta. Para evitar falhas em seus programas de benefícios, “a tendência é que as organizações criem alternativas customizadas e correspondentes aos reais interesses de seus colaboradores”, explica.
Para Bruno Zanzarini, Gerente Técnico da área de Benefícios da AD, o que cada profissional reconhece como benefício varia de acordo com características e necessidades específicas e, por isso, é muito importante o desenvolvimento de uma política de benefícios que seja, além de atrativa, também coerente com o momento da empresa e o perfil de cada indivíduo.
Ainda segundo Zanzarini, além da retenção de talentos, uma política de benefícios bem estruturada pode fortalecer a imagem organizacional, trazer reconhecimento de mercado e gerar a obtenção de melhores resultados por meio de uma equipe comprometida e engajada. “A oferta de benefícios é percebida pelo colaborador como um reconhecimento por sua dedicação e, ao mesmo tempo, uma forma de mantê-lo motivado. Ademais, tendo a tranquilidade de ter a assistência necessária no momento de uma necessidade, o colaborador pode focar seus esforços na realização de suas atividades com primazia”, garante.
Especializada no desenvolvimento de produtos customizados para empresas, a Consultoria de Benefícios da AD conta com 4 diferentes etapas no processo de atendimento ao cliente – Consultoria, Relacionamento, Gestão de Saúde e Técnica de Produtos. Dentre as ações que desenvolve, estão o diagnóstico e proposta de soluções para o cliente, mapeamento de riscos, otimização de custos, apoio nas negociações, promoção de saúde, prevenção e gerenciamento de riscos.
Com o foco sempre em pessoas, a AD trabalha com as mais diversas soluções para Recursos Humanos, como Assistência Saúde e Odontológica, Seguro de Vida em Grupo, entre outros.
Foto 1 – Cristiano Borin, Gerente de Recursos Humanos da AD Corretora de Seguros.
Foto 2 – Bruno Zanzarini, Gerente Técnico da área de Benefícios da AD.
Fonte: Panorama de Negócios
REMOVER TODOS
COMPARE
0