Comércio Exterior

Nova turma começa em dezembro; vagas limitadas

Os números falam por si. Este é o ano do comércio exterior para o Brasil.

A balança comercial brasileira quebrou recordes em julho. De acordo com o Ministério da Indústria,
Comércio Exterior e Serviços (MDIC), o país registrou superávit (exportações maiores que importações)
de US$ 6,29 bilhões, o maior para meses de julho desde o início da série histórica, em 1989.

No acumulado de janeiro a julho, o superávit, de US$ 42,51 bilhões, também foi o maior da série histórica
para o período. Até então, o maior superávit para julho havia sido registrado em 2006 (US$ 5,65 bilhões
) e, para os primeiros sete meses do ano, em 2016 (US$ 28,22 bilhões).

Atualização profissional

Para quem busca aprimoramento no setor, a IBE Conveniada FGV de Campinas abriu matrículas para o MBA em Gestão Empresarial com ênfase em Comex. As aulas começam em 2 de dezembro e são quinzenais, aos sábados. A taxa de matrícula é de R$ 190. Para inscrições, acesse o www.ibe.edu.br ou envie um e-mail para info@ibe.edu.br. A IBE Conveniada FGV Campinas está localizada à Rua José Paulino, 1.369, no Centro. O telefone é o (19) 3739-6420.

Bom momento para Comex

Cresceram as exportações de produtos básicos como de soja em grãos, milho em grãos, carnes bovina, suína e de frango (+19%), manufaturados com destaque para automóveis de passageiros, laminados planos de ferro/aço e suco de laranja não congelado (+12,6%), além de semimanufaturados de ferro/aço, celulose e ferro-ligas (+8,7%).

Do lado das importações, cresceram as compras de combustíveis e lubrificantes (+57%), bens intermediários (+6,8%) e de consumo (+3,4%), mas recuaram as compras de máquinas e equipamentos para produção (-22,7%).

Nos primeiros sete meses deste ano, as exportações somaram US$ 126,47 bilhões, com média diária de US$ 872 milhões (alta de 18,7% sobre o mesmo período do ano passado).

Já as importações somaram US$ 83,96 bilhões, ou US$ 579 milhões por dia útil (aumento de 7,2% em relação ao mesmo período de 2016).

O valor registrado nas exportações é resultado de dois fatores: quantidade exportada e o preço do produto. De janeiro a julho de 2017, a quantidade de produtos exportados subiu 3,3% na comparação com o mesmo período do ano passado, mas o preço dos produtos brasileiros ficou 15,3% maior.

REMOVER TODOS
COMPARE
0