Cofundador

Começar um negócio é difícil – muito mais do que você já sabe. Mas começar um negócio sem um parceiro? É quase impossível. Eu digo quase porque na verdade há startups que alcançaram o sucesso apenas com uma pessoa no comando.

Eu tentei algumas vezes por mim mesmo (e não fui tão bem assim). Para falar a verdade, essas empresas são a exceção, não a regra. Afinal, nem todo mundo consegue ser um Jeff Bezos.

É fato que cedo ou tarde você não será capaz de fazer tudo na sua startup por conta própria. E se você quiser expandir sua empresa, vai precisar de mais mentes e corpos para compartilhar o trabalho. Como diz o ditado, duas cabeças funcionam melhor que uma.

Meu sucesso como um empreendedor pode ter sido definido não apenas por mim, mas pelas pessoas superinteligentes e viciadas em trabalho que eu tive o privilégio de conhecer. Por isso, eu sou 100% comprometido com o princípio dos cofundadores. Se você está começando um negócio, você precisa encontrar um.

Destruindo o mito do fundador solitário

A ideia do lobo solitário, saindo de encontro ao mundo, corajoso e atraente soa quase heróico, mas está longe da realidade que empresas jovens enfrentam. Acredite em mim, eu estive lá.

Ter um cofundador funciona por várias razões:

– Para um starter, um cofundador serve para uma das muitas políticas de segurança que qualquer startup deve ter. Chamar um cofundador de “política de segurança” soa frio e calculista, mas, lembre-se, eu estou apenas mostrando uma das muitas vantagens. Há aspectos maiores e mais importantes

– Um cofundador ajuda a te encorajar e dar suporte. Começar um novo negócio não é fácil. Você vai querer ceder ou talvez desistir algumas vezes. Seu cofundador estará lá para te manter forte. E você fará o mesmo por ele

– Você vai achar que suas habilidades são inadequadas para certos aspectos de seu negócio. Ter um parceiro significa ter alguém que poderá te ajudar quando você falhar. E não é vergonhoso

– Negócios formados por duas ou mais pessoas com habilidades e qualidades complementares (por exemplo, o realista vs. o otimista, o implementador vs. o cara ideal) são também mais prováveis de suceder

– Rodar um negócio não é barato e, como muitos proprietários de startups sabem, um financiamento precoce pode ser difícil de conseguir. É quando um parceiro vem a calhar. Você tem alguém para compartilhar a conta

– Investidores também gostam de ver uma empresa que é liderada por mais de uma pessoa. Mais pessoas significam menos chance de o negócio falhar

Considere os seguintes cenários:
1) Digamos que você é um programador com um aplicativo promissor, mas não sabe como espalhar a notícia sobre o seu produto. Você precisa de um parceiro especializado em marketing e relação de mídias

2) Você poderia ser um dono de restaurante inspirador, mas não tem nenhuma experiência na cozinha. Obviamente, você precisa de um chefe com conexões como seu parceiro

3) Você é um redator com um portfólio incrível e útil, mas não sabe todos os aspectos técnicos de marketing online para começar uma agência de propaganda. Você precisa de alguém com experiência em otimização de sites e marketing de conteúdo

Você captou a mensagem.

Infelizmente, o processo para encontrar um cofundador ou parceiro nunca é fácil. Exige confiança e comunicação para fazer as coisas acontecerem.

Apenas porque você conseguiu um ótimo cofundador, contudo, não preveja uma partida fácil.
Para toda startup bem-sucedida e baseada em uma relação sólida entre dois ou mais fundadores, uma também falhou devido a problemas decorrentes de relações problemáticas.

Encontrar um cofundador pode ser desafiador e a relação como um todo é complicada e difícil de lidar. Aqui há algumas coisas que eu tenho aprendido em minhas buscas por cofundador.

1. Crie um checklist para o “cofundador perfeito”

O segredo para encontrar um parceiro de negócio é pensar primeiro sobre as áreas que você domina. Pergunte a si mesmo essas questões antes de sair à procura de um parceiro:

– Quais são seus pontos fortes quando se fala em negócio?
– Quais são suas fraquezas?
– Quais são as necessidades imediatas da sua startup que você não consegue consertar por conta própria?

Achando as respostas para essas perguntas, você agora tem uma referência para encontrar seu parceiro ideal.

Lembre-se de ser tão objetivo quanto possível. Caso contrário, você vai acabar limitando sua pesquisa a sua família e amigos.

Não que há nada errado com isso, especialmente se um amigo ou familiar propõe o conjunto de habilidades corretas e experiência para complementar o seu. Mas, de um modo geral, você quer expandir seus horizontes tão longe quanto possível, o que é difícil de fazer se você limitar suas chances a pessoas que estão próximas a você.

Sua lista deve incluir ideias. Mas seja realista. Você não vai encontrar alguém que cabe 100% no seu critério. Seja flexível, mas saiba o que você está procurando.

2. Vá a eventos de networking

Se suas esferas sociais não estão pavimentadas por cofundadores, é hora de fazer sua esfera maior. Experimente comparecer a um evento de networking. Mesmo se você não está necessariamente à procura de seu parceiro, esses encontros são uma ótima maneira de interagir com as pessoas que têm interesses semelhantes e enfrentam os mesmos desafios que você. Eventos de startup podem estar cheios de oportunidades para financiamento de capital de risco e networking com startups fantásticas.

Siga esse checklist quando for a esses eventos:
-Planeje sua agenda: prepare um esboço dos seus objetivos de networking. Você está à procura de parceiros em potencial? Procurando encontrar investidores? Você quer pôr à venda o seu produto?

– Escolha um evento relevante: nem todos os eventos de networking são os mesmos, até esses voltados a proprietários de startups. Novamente, seus objetivos de networking devem ajudar a guiar a sua escolha

– Prepare-se para interagir: embora seja importante estabelecer os objetivos do networking, sua abordagem geral para um evento não deve ser comunicar-se por si, mas sim encontrar pessoas. Esta mentalidade vai fazer você se sentir mais relaxado no evento e pronto para interagir

– Não só converse, ouça: não vá a eventos de networking com a intenção de ganhar alguma coisa deles. Você também precisa considerar como você pode ajudar os outros. Esta abordagem de ouvir as pessoas é também útil para te ajudar a identificar parceiros em potencial

Intencionalmente cresça seu networking, não apenas em tamanho, mas também em valor.
Se você está indo a bares e baladas onde não há possíveis cofundadores, relaxe. Encontre os lugares onde estas pessoas saem e entre no caminho social delas.

3. Considere mover-se para onde a ação acontece

Agora que você sabe quem e como, é hora de considerar onde procurar seu cofundador. Não é segredo que certas cidades têm melhores ambientes para ajudar a startups crescerem, por isso que mudar de lugar talvez seja o que você precisa para encontrar seu cofundador.

As locações têm uma influência enorme para a sobrevivência das startups. Sem o ecossistema correto e o suporte na forma de infraestrutura, as chances da sua empresa prosperar são baixas.

Se sua companhia for fundada no meio de Dakota do Norte [estado norte-americano], por exemplo, talvez você tenha dificuldades para encontrar um cofundador. Principalmente se sua empresa for de nicho. Mas você também não deve só se basear em popularidade. Por exemplo, se sua empresa é de tecnologia, você deveria mudar para o Vale do Silício?Pessoalmente, eu diria não. Eu tenho encontrado eixos de startups por todo o mundo. Eu me afastei do Vale do Silício.

Tente checar outras startups próximas a você. Não limite seus horizontes a Nova Iorque ou São Francisco. Nômades digitais têm encontrado ótimos eixos de startups em diferentes lugares como São Paulo e Belo Horizonte. Mantenha suas opiniões abertas e siga o movimento certo.

4. Não tenha medo de trabalhar
com pessoas que são diferentes de você

Assim como é importante ter um esboço das qualidades e habilidades que você quer de um parceiro em potencial, é também necessário estar disposto a permitir coisas que geralmente não são permitidas. Por exemplo, quando muitas startups pensam em incluir um parceiro, o candidato ideal geralmente é alguém mais novo, entendido em novas tecnologias e altamente instruído. Mas se isto é seu critério para contratar um talento, você logo terá uma equipe com as mesmas ideias, resultando em uma startup com pessoas sem opinião própria.

Mark Zuckerberg uma vez disse: “eu quero enfatizar a importância de ser jovem e técnico. Pessoas jovens são mais inteligentes. Por que a maioria dos mestres de xadrez tem menos de 30 anos? Pessoas jovens tem vidas mais simples. Nós podemos não ter nosso próprio carro. Nós podemos não ter família”.

Enquanto há certamente méritos em contratar pessoas jovens, limitar sua busca por talento a um grupo específico também significa que você está limitando o tipo de ideias que você pode obter.

Ideias especiais e verdadeiramente únicas podem vir das pessoas que você menos espera. Abrace a diversidade e considere profissionais com diferentes experiências quando estiver à procura de um parceiro.

5. Leve um tempo para se conhecer

Você finalmente encontrou alguém que preenche muitos dos requisitos em seu esboço do “cofundador perfeito”. Parabéns. Você deve assinar um acordo de parceiro neste momento? Não. Lembre-se: você encontrou um candidato ideal para a parceria, mas isso não significa que você está 100% certo se ela ou ele está apto.

Não seja muito ansioso em trazer as pessoas a campo, não quando há sempre a opção de colocá-las em uma base de consultoria primeiro. Eu sei que é empolgante encontrar alguém que compartilha sua visão e objetivos para sua startup, mas vocês devem ainda levar o tempo que for possível para conhecer um ao outro antes de assinar algum documento oficial.

Ter um parceiro de negócio é como estar em um relacionamento amoroso. Você nunca conhecerá verdadeiramente a personalidade e truques do seu parceiro ainda mais quando você está em algum tipo de situação estressante. A mesma coisa se aplica para os cofundadores.

E como gerenciar uma startup é um dos desafios mais estressantes do mundo, só funciona se você tiver um parceiro que fica frio sob qualquer tipo de pressão. Por exemplo, ponha seu parceiro em “prática” com um teste adotando um fim de semana de intenso planejamento e tomada de decisões – talvez para pensar em uma estratégia de marketing digital.

Observe como ele pensa, age e trabalha para consertar conflitos e tomar decisões. Isto pode te dizer muito sobre aquilo que é valioso e sobre o potencial do seu parceiro para a função.

6. Não tenha medo em estabelecer termos claros

Eu não consigo enfatizar isso o bastante. Achar um cofundador de startup deve ser abordado com a mesma seriedade de se casar com alguém para o resto de sua vida. E se marido e mulher podem concordar em assinar um acordo pré-nupcial, cofundadores de empresa também podem concordar em estabelecer termos para sua parceria.

Eu não quero levar essa coisa de casamento muito longe, mas você deve pelo menos ser sério e perceber que muito está em jogo. Por exemplo, a compensação é geralmente um tópico que muitos proprietários de startup preferem enfrentar mais tarde. Mas, como eu disse, é melhor entrar em um acordo enquanto sua empresa ainda não está fazendo muito dinheiro.

Vocês podem concordar também em pagar vocês mesmos de cara ou receber o dinheiro quando finalmente adquirirem algum capital de risco. A decisão depende de você e do seu parceiro.

Uma outra conversa que você deve ter é sobre a divisão do trabalho. É onde muitos conflitos surgem:

– Quantas horas vocês podem dedicar para a empresa?
– Você pretende manter seus “verdadeiros” trabalhos por enquanto?
– Quem será responsável por conversar com a mídia?
– Vocês têm uma estratégia de saída no caso de as coisas irem por água abaixo?

Não tenha medo de adotar conversas difíceis e emotivas. É melhor ter tudo às claras no início do que tentar resolver as coisas quando é tarde demais. Muitas startups perdem o controle, porque os cofundadores pressupõem que eles pensam de maneiras similares, apesar de ter diferentes prioridades e objetivos para o negócio. Eu sugeriria escrever essas coisas em um documento legal para evitar maiores conflitos estrada abaixo.

Conclusão

A experiência tem me ensinado que os cofundadores certos podem determinar a chance de sobrevivência e sucesso de uma startup. As startups apresentam muitos desafios e a menos que você tenha algum tipo de excentricidade e possa enfrentá-los por conta própria, sempre estará melhor dentro de um time ou de uma parceria.

Os cofundadores de startups podem ajudar a compartilhar a carga de trabalho, compartilhar seu estresse, solucionar problemas e – uma preocupação maior para os donos de startups – dividir a conta em operações caras.

Mesmo se sua startup falhar, você ainda pode prosseguir para o próximo projeto se você teve um ótimo trabalho de parceria.

Fonte: Época Negócios

Your compare list

Compare
REMOVER TODOS
COMPARE
0