Notícias

Resultado do IGC confirma liderança da FGV no ensino brasileiro

Quatro Escolas da Fundação Getulio Vargas estão entre as dez melhores do país, de acordo com a última divulgação do Índice Geral de Cursos pelo Ministério da Educação (IGC/MEC – 2012): a Escola de Economia de São Paulo (FGV/EESP), a FGV/EPGE – Escola Brasileira de Economia e Finanças, a Escola de Brasileira de Administração Pública e de Empresas (FGV/EBAPE) e a Escola de Ciências Sociais (FGV/CPDOC). Todas receberam a classificação máxima (5) no índice, e ficaram na primeira, segunda, quinta e sétima colocação nacional, respectivamente.

“A verdadeira meta é institucionalizar valores e normas meritocráticos que perdurem por gerações, a exemplo de instituições como Harvard, MIT, Cambridge, Oxford”, comenta o diretor da EESP, professor Yoshiaki Nakano. O diretor da FGV/EPGE, professor Rubens Penha Cysne, também comemora. “Estamos bastante satisfeitos com os índices recentemente divulgados, que atestam a manutenção de uma trajetória de excelência acadêmica por 52 anos consecutivos. A EPGE/Escola Brasileira de Economia e Finanças repetiu, relativamente ao último triênio, notas máximas em todas as suas avaliações”, destaca. As duas Escolas são as melhores de Economia do Brasil.

Cysne explica os fatores do sucesso. “Isto se deu na graduação (5 no ENADE e 5 no Conceito Preliminar de Cursos), no Mestrado Profissional (5) e no Mestrado e Doutorado Acadêmicos (7). No cômputo geral de graduação e pós-graduação, a Escola repetiu também a nota máxima 5 no Índice Geral de Cursos. Com isto, a EPGE passa a ser o único programa de pós-graduação em economia do Brasil com três notas máximas sete acumuladas nas avaliações da Capes e com todas as notas acumuladas do Mestrado Profissional iguais à nota máxima (5). A classificação do Departamento em primeiro lugar na América Latina de acordo com o Índice Internacional de Tilburg  confere robustez adicional a estas avaliações”, complementa.

Para o diretor da EBAPE, professor Flavio Vasconcelos, o resultado deve-se ao trabalho de equipe: “O sucesso alcançado é reflexo de um trabalho estratégico desenvolvido em equipe por todos os estudantes, professores, funcionários técnicos e administrativos e gestores. O foco sempre é ensino e pesquisa de qualidade. Isso deriva da missão maior da EBAPE e da FGV que tem em sua essência contribuir para o desenvolvimento econômico e social do Brasil”, afirma. Nesta avaliação, a EBAPE é a melhor escola de Administração do país.

Já o diretor do CPDOC, professor Celso Castro, diz que a Escola – que também é a melhor instituição na área de Ciências Sociais do Brasil – está muito satisfeita, principalmente com a nota máxima alcançada pelo Mestrado Profissional em Bens Culturais e Projetos Sociais. “O resultado nos deixa muito confiantes, com a certeza de que a aposta neste programa vale a pena e é bem-sucedida”, afirma, lembrando que ele completou uma década em 2013.

O IGC leva em consideração a avaliação do corpo docente, das instalações físicas, do projeto pedagógico e das notas dos alunos no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). O cálculo inclui ainda a média ponderada dos conceitos preliminares de curso no triênio de referência e os conceitos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) – responsável por avaliar os programas de pós-graduação das instituições.

O Ministério da Educação avaliou 2.171 instituições de ensino superior em todo o Brasil.

Fonte: FGV Noticias