Entenda Por Que Voce Deve Comecar A Apostar Em Benchmarking Competitivo.jpeg

Você provavelmente já ouviu falar na expressão “benchmarking”. De acordo com o Cambridge Dictionary, “é o ato de medir a qualidade de algo comparando-o com outra coisa de um mesmo padrão” ou o “uso de algo como um padrão para melhorar seu próprio trabalho, produtos ou processos”.

Na prática, trata-se de uma ferramenta poderosa para as empresas se compararem com outras organizações (de mesmo segmento ou não), a fim de melhorarem seu desempenho. O benchmarking é dividido em três segmentos: interno, competitivo ou multissetorial.

Neste artigo, vamos nos aprofundar no benchmarking competitivo. Acompanhe as próximas linhas!

O que é e para que serve o benchmarking competitivo?

Em essência, o benchmarking é uma estratégia para que sua empresa compare e avalie a qualidade das políticas, produtos, programas, estratégias etc. de uma organização e encontre padrões que possam ser implantados tanto nos seus meios de produção quanto na própria gestão.

Por isso, o benchmarking tem três objetivos principais:

  1. estipular todos os processos e setores que devem passar por melhorias;
  2. observar o que outras organizações fazem para alcançar um alto desempenho;
  3. utilizar tais informações em estratégias de melhoria da própria performance.

No caso do benchmarking competitivo, esse olhar é direcionado às empresas que estão disputando o mesmo segmento de mercado com você. Num linguajar mais popular, podemos dizer que é espiar a grama do vizinho e tentar entender por que ela está crescendo mais que a sua.

No âmbito da competição do mercado, quer dizer observar as práticas da concorrência direta e aprender com ela para impulsionar o crescimento do seu negócio. Ainda, o benchmarking competitivo possibilita que você enxergue seus pontos fortes e saiba em quais aspectos a concorrência está mais vulnerável que sua empresa.

Quais são as etapas de implementação do benchmarking competitivo?

Planejamento

Como toda estratégia, o benchmarking competitivo começa com planejamento. Para isso, você precisa fazer uma avaliação minuciosa dos seus processos internos e práticas empresariais, a fim de identificar suas forças e fraquezas. O objetivo é entender qual é seu real cenário de atuação e compreender quais são as necessidades de melhoria.

Coleta de dados

A partir daí, identifica-se os grandes players do mercado ― as empresas de excelências que você deseja analisar ― e por quais métodos as informações desejadas chegarão até você. Uma das saídas para tal é firmar parcerias e convênios.

No entanto, é inegável que tentar fazer uma coleta de dados sem a ajuda de profissionais especializados pode gerar informações falhas. Obviamente, a maioria dos concorrentes não vai querer abrir suas portas para você, muito menos, contar suas “receitas de sucesso”. Com isso, uma consultoria externa se faz necessária para que você obtenha as informações desejadas.

Análise

De posse dos dados sobre as práticas dos concorrentes, inicia-se uma análise comparativa com os processos da sua organização, a fim de entender em quais aspectos eles são melhores e o que pode ser feito para aumentar seu desempenho interno.

Para tanto, os gestores devem observar quais práticas são similares em ambas as organizações e em que aspectos eles se saem melhor em relação a você. Além disso, é fundamental focar em como incorporar ou adaptar essas práticas tidas como mais eficientes em sua empresa.

Adaptação e integração

Nesta fase, ocorre a adaptação dos processos até então utilizados na sua organização ou a inclusão das novas práticas. Trata-se de uma etapa delicada, pois o aumento do desempenho depende do engajamento dos colaboradores.

Sendo assim, é preciso que tudo que foi descoberto por meio do benchmarking seja comunicado a todos os setores, com o intuito de conseguir comprometimento. Sendo assim, é importante demonstrar dados concretos que comprovem com clareza as razões de tais mudanças na empresa.

Implementação

Uma vez que toda a organização esteja ciente e comprometida com as mudanças, inicia-se o processo de implementação das ações e princípios operacionais obtidos com o benchmarking.

Crie métricas de desempenho e estabeleça avaliações periódicas para ter certeza de que as práticas estão levando aos resultados desejados. Além disso, lembre-se de que é importante reportar aos colaboradores os progressos que estão sendo observados, bem como os pontos que precisam de correção.

Como essa prática pode ajudar seu negócio?

Diante de um mundo sem fronteiras e hoje pautado pela revolução digital, as transformações no mercado têm acontecido em velocidade espantosa. Portanto, as organizações que desejam manter altos níveis de competitividade precisam ter a capacidade de reagir rapidamente às mudanças que o cenário impõe e se adaptar para aumentar seu desempenho. Nesse sentido, o benchmarking competitivo é um grande aliado.

Mas não é só isso! Investir no benchmarking competitivo também contribui para os seguintes aspectos:

  • facilidade nos processos de mudança na organização;
  • foco em qualidade e desempenho;
  • redução de custos nas operações;
  • aumento da perspectiva de mercado;
  • consolidação de uma cultura organizacional baseada na inovação;
  • fortalecimento do rigor das metas operacionais;
  • incentivo ao constante processo de aprendizagem;
  • ganhos no engajamento e aumento da autonomia do colaborador;
  • aumento da visão externa da empresa.

Quais são as práticas mais eficientes do benchmarking competitivo?

Diversas observações podem ser realizadas por meio do benchmarking competitivo. Confira, a seguir, 3 práticas que geram muitos benefícios para que uma empresa se sobreponha à outra diante da concorrência.

Prática de precificação

Por que uma empresa oferece o mesmo produto ou serviço que você, com igual qualidade, porém os preços são inferiores?

Uma das práticas do benchmarking competitivo é observar qual é o processo de produção ou estratégias de vendas que leva seu concorrente a diminuir os custos. É analisar também quais valores são agregados para que haja maior demanda de clientes e a organização consiga ganhar na quantidade de produtos vendidos ou negócios fechados.

Marketing

Essa prática tem o objetivo de compreender quais estratégias de marketing o concorrente utiliza para obter um melhor posicionamento de marca e, com isso, fidelizar mais clientes. Por exemplo, presença omnichannel, marketing de conteúdo, política de bônus e descontos, publicidade em múltiplas mídias, compras via internet, aplicativos exclusivos etc.

Uso de tecnologia para melhorar processos

Aqui, a finalidade é observar quais tecnologias — como softwares, sistemas de gerenciamento e produção, inteligência artificial, cloud computing — a empresa utiliza para conseguir maior produtividade. Além disso, como acontece a automatização de tarefas e qual tipo de capacitação profissional os colaboradores recebem para estarem familiarizados com essas tecnologias.

Como você pôde verificar, o crescimento de seu negócio depende de uma visão clara e abrangente do cenário interno e externo de sua organização. Graças ao benchmarking competitivo, você tem condição de aprender com a concorrência e, ao mesmo tempo, acompanhar as práticas de mercado dos principais players que levam a um alto grau de desempenho.

Gostou deste artigo? Então, assine agora mesmo a nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos com os melhores insights sobre administração e negócios!

REMOVER TODOS
COMPARE
0