Aprendizado Entre Ceos Como Aplicar O Benchmarking Na Empresa.jpeg

Em um mercado tão competitivo e volátil, pautado por rápidas transformações resultantes dos avanços tecnológicos, o líder ratifica-se como peça-chave para impulsionar sua empresa para vencer a concorrência e potencializar negócios. Dessa forma, precisa agir com estratégia, conhecer os cenários, avaliar o que outras organizações estão fazendo e aprender com elas para se sair melhor. E para que esse monitoramento do mercado seja possível, o benchmarking é uma técnica totalmente apropriada. Você já ouviu falar dele?

Essa ferramenta valiosa é capaz de responder a uma pergunta que persegue os pensamentos de qualquer gestor: “Como estou me saindo em relação à concorrência?”. Graças ao benchmarking, é possível saber o que está dando certo no mercado, os pontos falhos e receber feedbacks essenciais para uma tomada de decisão eficiente e palpável.

Então, o assunto deste artigo é benchmarking no ambiente corporativo. Continue conosco e veja como é possível se beneficiar desse método de análise do mercado!

Como o benchmarking pode ajudar sua empresa?

Quem nunca quis “espiar a grama do vizinho para incrementar o próprio jardim”? Essa é a essência do benchmarking. Em tradução livre, a expressão da língua inglesa significa “ponto de referência”. Então, onde vamos mirar?

No mundo corporativo, as empresas que decidem explorar o benchmarking têm nas mãos uma das melhores ferramentas da administração para aumentar sua eficiência.

Na prática, é um método que permite aos gestores explorar as melhores estratégias e ações do mercado, bem como comparar produtos e serviços, processos e operações utilizados por empresas rivais do mesmo segmento de atuação ou por outras que representam inspiração ao seu negócio.

Mas a ideia não é imitar o que o concorrente está fazendo, e sim absorver características de seu interesse que lhe permitam ter insights para elevar o grau de superioridade no gerenciamento e/ou operações da sua organização.

Pensando além de seu universo particular, com essa ferramenta, as organizações são encorajadas a buscar elementos-chave que possam ampliar de forma exponencial sua competitividade e chegar a resultados robustos.

Resumidamente, existem 4 tipos de benchmarking:

  1. Interno — investiga as melhores práticas que ocorrem dentro da própria organização, tanto nos departamentos quanto em filiais.
  2. Competitivo — analisa minuciosamente a concorrência, a fim de superar suas práticas. Trata-se de algo bastante complexo, pois dificilmente as empresas deixam vazar informações facilmente à concorrência.
  3. Funcional — são comparados processos e metodologias de trabalho entre organizações, independentemente do segmento.
  4. De cooperação — duas organizações fazem uma parceria e compartilham dados sobre seus processos. Também acontece quando uma empresa modelo, com pontos distintos de atuação, abre suas portas para o aprendizado de outra.

Quais são os passos para implementar o benchmarking?

Pôr em prática o benchmarking exige uma abordagem estruturada e bastante planejamento. Confira as principais etapas para que essa estratégia tenha êxito.

Faça uma análise interna

Primeiramente, a equipe gestora deve realizar uma autorreflexão consistente. Por ser uma análise minuciosa, nessa primeira etapa cabe bem o benchmarking interno.

Aqui, é preciso levantar questões-chave que permitam enxergar seus pontos fortes e o que representa um desafio para sua própria competitividade. Alguns elementos que merecem destaque são:

  • feedback dos clientes;
  • pós-venda;
  • estratégias de marketing;
  • tecnologia adotada;
  • logística;
  • gestão de recursos humanos;
  • clima e cultura organizacional;
  • design de produto ou serviço.

Além disso, procure ouvir seus colaboradores. Pergunte o que eles acham que pode ser melhorado e quais os principais entraves para a realização de cada tarefa. Ainda, verifique se eles têm sugestões de melhores práticas e procure valorizá-las.

Identifique as empresas de referência

Conheça quem são os grandes players do mercado, aqueles em quem você deseja se espelhar. É bastante comum selecionar em torno de 3 empresas que serão objeto do seu estudo, principalmente aquelas que tenham cases de sucesso.

Vale ressaltar que a escolha dessas empresas varia de acordo com o propósito do benchmarking, uma vez que a comparação das práticas pode variar entre departamentos, produtos, modelos de processos, entre outros, como dissemos anteriormente.

Determine a metodologia para a captura de dados

Há várias formas de realizar a captura desses dados. Por exemplo, é possível designar um profissional responsável pelo benchmarking. Ele deverá realizar visitas às organizações, levantar históricos, fazer pesquisas estatísticas, estudar seus nichos de atuação, entre outras ações.

Por isso, é fundamental que a equipe gestora crie métricas e parâmetros de análise. Estes podem configurar dados numéricos, pesquisas empíricas, relatórios discursivos etc. O mais importante é que o propósito central esteja bem definido, e os dados coletados sejam de fácil análise e, principalmente, que ensine algo em vez de simplesmente monitorar.

Comece a análise de mercado

Aqui se inicia a fase de comparação. É nesse momento que você vai conhecer as melhores práticas de seus concorrentes e determinar todos os processos e cenários que necessitam de melhoria em relação a eles.

Por isso, é importante obter a maior quantidade de dados possível. Somente assim você conseguirá fazer uma análise minuciosa que permita identificar pontos negativos e positivos, bem como nuances e diferenças de atuação entre as companhias analisadas e sua empresa.

Observe as lacunas de desempenho

Com o cardápio de dados dos concorrentes em mãos, esse é o momento de observar os gaps (ou lacunas) existentes em seus processos. Aqui, você está incumbido de descobrir por que sua performance está abaixo da concorrência e procurar soluções para que seus processos não apenas sofram correções, mas principalmente que tenham o desempenho elevado.

É importante saber que quanto maior for a lacuna, mais aquele processo necessitará de atenção e estabelecimento de medidas de melhoria. E, claro, essa visão vale tanto para procedimentos isolados como para grandes estratégias de negócio.

Faça projeções para o desempenho desejado futuramente

Reorganizar a casa leva tempo, uma vez que você deverá planejar, testar, avaliar e, finalmente, concluir se a decisão tomada foi a ideal. Por isso, é importante que você trace objetivos de desempenho e divida-os em metas mensuráveis. Essas projeções são fundamentais para que você crie um plano de ação.

Valorize todo o aprendizado e procure tomar para si os melhores resultados e práticas observados na concorrência. De tempos em tempos, promova uma avaliação e, se necessário, volte a realizar o benchmarking a fim de confirmar se você está no caminho certo com as novas posturas adotadas.

Como a educação executiva contribui para o benchmarking?

Como em qualquer área do conhecimento, quanto mais desenvolvidas forem as habilidades dos gestores, maiores serão as chances de se conseguir resultados além da curva esperada. Nesse sentido, é importante que os altos executivos também invistam em atualização, a fim de acompanhar as tendências do mercado e se manterem preparados para encarar os desafios impostos pelo mercado.

Felizmente, existem escolas de negócios que compreendem as necessidades da liderança contemporânea e estão empenhadas em trazer o que há de mais substancial para incrementar a visão e a técnica de profissionais do topo da hierarquia nas empresas.

Esse é o caso da IBE Conveniada FGV, que agrega uma extensa lista de programas educacionais voltados à educação executiva, com especializações lato sensu, MBA e cursos especialmente desenvolvidos para CEO.

Ao se tornar um líder aprimorado, sua capacidade de gestão estratégica aumenta consideravelmente sua percepção a respeito dos macro e microcenários em que sua organização está inserida. Por consequência, todas as tomadas de decisão passam a acontecer com mais consciência, e os processos de gestão ganham amplitude com a aquisição de know-how para implementar diversas ferramentas de análise do mercado, entre as quais está o benchmarking.

Se você deseja saber mais sobre os programas de educação executiva da IBE conveniada FGV e como eles podem ajudá-lo em seu aprimoramento como gestor, entre em contato conosco e conheça nossa proposta pedagógica.

REMOVER TODOS
COMPARE
0