7 Motivos Para Pensar Na Internacionalizacao De Empresas.jpeg

O crescimento de qualquer organização depende de que o mercado ofereça as condições  necessárias à expansão dos negócios e ampliação do faturamento. Quando isso não acontece — em decorrência de momentos de instabilidade econômica, por exemplo —, a internacionalização de empresas é uma alternativa a se considerar.

Com a presença em novos mercados, a chance de estagnação por conta de cenários adversos diminui sensivelmente, pois é possível gerar uma autossuficiência muito maior para sua organização no momento em que deixa de depender exclusivamente de um único público ou região geográfica.

Se você acredita no potencial de sua empresa para desbravar o mercado internacional, aproveite a leitura deste artigo. Aqui, explicaremos o conceito de internacionalização de empresas e listaremos 7 motivos para apostar nessa estratégia desde já. Acompanhe as próximas linhas!

O que é internacionalização de empresas?

A internacionalização de empresas também é conhecida como globalização. Nesse processo, as organizações buscam explorar novos mercados, tanto com a negociação de produtos de exportação quanto com a própria produção em escala internacional.

O Brasil vem demonstrando bastante força internacional e já conta com empresas que vigoram entre as líderes mundiais, comandando várias cadeias produtivas. De acordo com a Forbes, são mais de 400 empresas com atuação em 56 países. Em geral, são organizações com valor agregado ou que operam por commodities, cujo faturamento majoritário é fruto dos negócios no exterior. Estamos falando de empresas prósperas que competem no mesmo patamar de outras gigantes globais.

Logo, como conceito, a internacionalização de empresas constitui todo o relacionamento de uma companhia com outras nações, visando a comercialização de produtos e serviços ou a implantação de escritórios ou filiais nesses países.

Vale ressaltar que o tamanho ou a idade da organização não são condições excludentes para a internacionalização de empresas. Um exemplo disso é a Uber, startup que nasceu há pouco mais de 10 anos e, hoje, é a organização mais valiosa do mundo nesse segmento, com valor de mercado estimado em US$ 120 bilhões.

Por que decidir pela internacionalização?

Confira, a seguir, 7 motivos para investir na internacionalização da sua empresa.

1. Conquistar novos mercados

Diversificar os mercados é essencial para sua empresa conseguir maior estabilidade e segurança. A crise político-econômica que o Brasil vem enfrentando, além de ter quebrado muitas empresas, trouxe grande apreensão aos empresários brasileiros, que não conseguiam imaginar até pouco tempo como seria o dia de amanhã.

Nesse sentido, permanecer apenas no mercado interno pode ser um tanto arriscado, além de limitar seus negócios à realidade de um país em grave recessão, com políticas públicas incertas e milhões de endividados (pessoas físicas e jurídicas).

Então fica a pergunta: para quem vender? Nesse caso, uma resposta plausível é apostar no cenário internacional para ampliar suas oportunidades de negócio e dispor de alternativas para quando o mercado brasileiro apresentar queda.

Mas, antes, um conselho: é preciso estudar bastante a realidade dos países que deseja explorar. Assim como o Brasil, inúmeras nações estão em crise — inclusive potências do Hemisfério Norte. Portanto, não se arrisque, a menos que a oportunidade valha a pena!

2. Adquirir conhecimento dos parceiros

Como dissemos, há alguns anos, multinacionais brasileiras estão entre as que ditam regras no mercado externo. Essa também é uma excelente oportunidade para realizar ações de benchmarking e aprender a atuar internacionalmente a partir das boas experiências de organizações parceiras (ou concorrentes).

Ao contar com essas informações, é possível desenhar um planejamento estratégico condizente com todos os aspectos que envolvem os negócios no cenário internacional, incluindo particularidades de cada território. Entre eles, podemos citar:

  • acordos de livre comércio entre países;
  • barreiras culturais e linguísticas;
  • posições políticas;
  • sazonalidade dos negócios;
  • hábitos de consumo;
  • impactos da transformação digital e acesso à tecnologia.

Familiarizado com o contexto dos países que deseja explorar, você evita erros que podem levar a estratégia de negócio ao fracasso — como os choques culturais. Por isso, aprender com quem já possui know-how suficiente é imprescindível.

3. Diversificar o risco da empresa

Reforçando o primeiro item desta lista, ao explorar novos mercados, você diversifica os riscos da empresa. Ou seja, os negócios de sua organização não ficam limitados às vendas em território nacional, o que pode ser perigoso para a sobrevivência da empresa em momentos de crise.

Além disso, ao operar em diferentes mercados, a inovação passa a ser uma pauta fundamental para as estratégias da sua empresa, que se vê obrigada a acompanhar as novidades e tendências (seja no âmbito da tecnologia, seja nas questões mercadológicas), a fim de garantir competitividade e criar soluções. Como resultado, a apreensão com as oscilações do mercado diminui, e novos negócios são garantidos em tempo integral.

4. Reduzir carga tributária

A internacionalização de empresas que comercializam produtos pode ser uma interessante forma de reduzir custos de tributação. Muitas vezes, em troca de bons acordos comerciais, os países de destino das mercadorias reduzem a carga tributária dos produtos exportados. Isso permite que a empresa consiga lucrar mais em relação à comercialização interna.

Além disso, o benefício fiscal também pode vir do governo brasileiro, que diminui e até mesmo isenta a cobrança de impostos como:

  • ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços);
  • COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social);
  • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados);
  • IOF (Imposto sobre Operações Financeiras);
  • entre outros para empresas de determinados segmentos.

5. Criar uma marca global

Ao decidir enfrentar os desafios do mercado internacional, sua empresa tem condições de criar uma marca global e se tornar referência em qualidade. Isso aumenta profundamente a credibilidade da organização e não apenas facilita desbravar mercados ainda inexplorados, mas também reforça o reconhecimento da marca pelos consumidores brasileiros.

Além disso, como os padrões para exportação de mercadorias costumam ser exigentes, os produtos comercializados internamente passam a ter mais valor de mercado, uma vez que podem apresentar níveis de qualidade superiores às marcas que não seguem padrões internacionais.

6. Realizar economia de escala

Com a internacionalização, sua empresa certamente poderá diminuir os preços dos produtos e lucrar ainda mais a partir da economia de escala. Isso acontece porque, apesar do aumento da produção, não há um aumento do custo da fabricação. Pelo contrário, quanto maior a quantidade de matéria-prima, menor será o valor na negociação.

Com isso, o produto final pode ser vendido a um preço menor, uma vez que seu custo não se altera. E como a quantidade de produtos em estoque cresce, é possível vendê-los por um preço menor, porém lucrando mais em razão do volume.

7. Integrar todas as áreas da companhia

Para que você consiga entrar de cabeça no conceito de internacionalização de empresas, é preciso compreender que o sucesso desse projeto depende da perfeita integração de todas as áreas de sua companhia (produção, administração, logística, TI, finanças, marketing e comunicação etc.), a fim de que os processos passem a acontecer dentro das condições essenciais para uma implantação bem coordenada das estratégias internacionais.

Por meio da integração das áreas, você consegue não apenas estabelecer sua atividade no mercado internacional, mas também resolver problemas internos de comunicação e estratégia empresarial em sua companhia e, com isso, ofertar um serviço com mais qualidade e que gere melhores resultados para seu mercado já consagrado.

Você acabou de observar uma lista de razões pelas quais o investimento na internacionalização de empresas pode render frutos que nenhuma ação no mercado interno seria capaz de compensar. No entanto, é preciso construir um plano de internacionalização que identifique oportunidades reais de negócio e reconheça todas as forças, fraquezas e outras particularidades presentes nos territórios onde se deseja atuar.

Se você chegou até aqui, é possível que esteja interessado em gerir planos de internacionalização de empresas. Então convidamos você a entrar em contato com a IBE Conveniada FGV e conhecer nossos programas de educação para altos executivos!

REMOVER TODOS
COMPARE
0